Cerrado: segundo maior bioma brasileiro e um dos mais ameaçados


Atualizado em 11/9/2018

Ele é chamado de berço das águas pela abundância hídrica que ainda o caracteriza e tem alguns dos parques nacionais mais queridos do país – na Chapada dos Guimarães e na Chapada dos Veadeiros, famosos por suas cachoeiras, lagoas cavernas… Mas é pouco conhecido dos brasileiros.

O Cerrado abrange 25% do território brasileiro, perdendo, em tamanho, apenas para a Amazônia. Se estende por Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e parte de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Piauí e Bahia, e ainda se mistura com a floresta amazônica em Rondônia, Amapá, Roraima e Amazonas.

Abriga a bacia hidrográfica do rio São Francisco e três aquíferosGuarani, Bambuí e Urucaia -, responsáveis pela formação e manutenção de importantes rios do continente, como o Amazonas já que seus afluentes nascem lá. Isso se deve à riqueza de sua diversidade biológica, com mais um detalhe: o bioma tem a flora mais antiga da Terra. A vegetação é, em sua maioria, rasteira -, na companhia de árvores esparsas e muito tortuosas – que, no inverno, fica amarelada e, no verão, bem verdinha. Belíssimo cenário em qualquer estação.

Tudo isso o torna imprescindível não só para a manutenção dos demais biomas, como da qualidade de vida de todos os brasileiros e também da produção de alimentos, que tem sido seu algoz.

Metade de sua área já está ocupada pela expansão desordenada e sem controle da agropecuária. Isso é possível também porque apenas 3% do bioma está protegido em unidades de conservação de proteção integral e 5,3% em unidades de conservação de uso sustentável, incluindo RPPNs (Reserva Particular do Patrimônio Natural), de acordo com o Ministério do Meio Ambiente.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, por exemplo, já teve 600 mil hectares, mas, hoje, tem apenas 65 hectares. O governo federal diz ter projeto para ampliá-la para 242 mil hectares, mas a pressão dos ruralistas – claro! – tem impedido seu avanço.

Tudo está ameaçado por lá e algumas de suas espécies animais exclusivas, como o Lobo Guará, Tamanduá-Bandeira e o Tatu Canastra, figuram nas listas das ameaçadas de extinção. Não é à toa que o Cerrado apresenta as mais altas taxas de desmatamento do país – mais que a Amazônia!! – e é considerado um dos 25 ecossistemas com mais alto risco de extinção do planeta (Hotspots). Os mais pessimistas dizem que o bioma deve ser extinto até 2030.

Mas, diante de um cenário como esse, será que há mesmo o que celebrar no Dia do Cerrado (11/9)? Sim, sempre! Porque datas comemorativas como esta são perfeitas para nos fazer lembrar que o Cerrado, neste caso, existe e precisa da atuação de todos para ser protegido e reconhecido. A pressão popular sempre faz a diferença, sabemos. E sabemos também que a gente só protege o que conhece.

Então, viaje para o Cerrado! Esbalde-se nas trilhas, diante da vegetação peculiar, participe de expedições fotográficas, mergulhe nas cachoeiras e lagoas abundantes. É necessário falar, comentar, espalhar informações como as que reuni aqui, neste texto, além das maravilhosas imagens que alguns dos fotógrafos do blog Por Trás das Câmeras – Zig Koch, Marcos Amend (foto que abre este post e dá início à galeria abaixo) e Adriano Gambarini – escolheram para esta celebração e que você pode curtir abaixo.

Vamos ajudar a tornar o Cerrado mais conhecido e mais protegido!

amend-0maf_2010-07_serracipo_0375
Serra do Cipó, MG, por Marcos Amend

a-zig-d-nv0786-chapada-dos-veadeiros-cerrado-goChapada dos Viadeiros, por Zig Koch

cerrado-adriano-gambarini-abreParqaue Nacional das Emas, GO, por Adriano Gambarini

a-zig-d-cer0289-chuveirinho-actinocephalus-polyanthus-zig-kochZig Koch

a-zig-d-nv0355-chapada-dos-veadeiros-serra-da-boa-vista-goZig Koch

cerrado-adriano-gambarini-1
Parque Nacional das Emas, GO, por Adriano Gambarini


Paisagens típicas na região da Serra da Canastra, MG, por Adriano Gambariniamend-maf_2016-07_nobres_7165Marcos Amend

amend-maf_2006-07_jalapao_0081-editar
Jalapão, por Marcos Amend

amend-maf_2006-07_jalapao_0578
Jalapão, por Marcos Amend

a-zig-d-nv0225-p-n-da-chapada-dos-veadeiros-jardim-de-maitreya-goChapada dos Veadeiros, por Zig Koch

a-zig-d-nv0219-p-n-da-chapada-dos-veadeiros-jardim-de-maitreya-go
Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, por Zig Koch

amend-maf_2010-07_lapinhadaserra_0072
Lapinha da Serra, por Marcos Amend

cerrado-adriano-gambarini-5
Parque Nacional Grande Sertão Veredas, MG: vê-se a expansão agrícola sobre o Cerrado. Por Adriano Gambarini

cerrado-adriano-gambarini-4
Campos da Serra da Canastra, MG, por Adriano Gambarini

cerrado-adriano-gambarini-2
Zig Koch

amend-maf_2006-07_cavalcante_0057Em Cavalcante, por Marcos Amend

a-zig-d-cer0250-chuveirinho-actinocephalus-polyanthus-zig-koch
Chuveirinho-flor é um dos símbolos do Cerrado brasileiro, por Zig Koch

amend-maf_2012-02_lapinhadaserra_0017
Em Lapinha da Serra, por Marcos Amend

amend-0maf_2016-07_nobres_6920
Marcos Amend

amend-maf_2016-07_nobres_7235Araras Azuis, por Marcos Amend

amend-maf_2014-07_serradacanastra_1757Lobo Guará, por Marcos Amend

cerrado-adriano-gambarini-6Veado campeiro, na Serra da Canastra, MG, por Adriano Gambarini

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta