Celebridades e internautas doam mais de 30 milhões de dólares para ajudar combate aos incêndios na Austrália

Celebridades e internautas doam quase 30 milhões de dólares para ajudar combate aos incêndios na Austrália

*Atualizado em 11/01/20

A reação dos internautas e de famosos nomes do mundo do entretenimento foi rápida e surpreendente. Em meio à tragédia dos incêndios florestais que estão devastando a Austrália desde setembro, a comediante Celeste Barber lançou uma campanha de doação de dinheiro, no Facebook, no dia 2 de janeiro, para o Serviço de Combate ao Fogo e de Brigadistas Rurais de New South Wales, a região do país mais afetada pelo desastre.

Em cerca de uma semana, a iniciativa já arrecadou – até este momento -, mais de 34 milhões de dólares. Mais de 1,2 milhão de pessoas, das mais diversas nacionalidades, já contribuíram para a campanha.

Celeste é australiana e tem 1,6 milhão de seguidores no Facebook (e 6,6 milhões no Instagram). Nesse último, postou há poucos dias a imagem da janela da casa da sogra: o céu completamente alaranjado e tomado de fumaça dos incêndios.

Celebridades e internautas doam mais de 25 milhões de dólares para ajudar combate aos incêndios na Austrália

No sábado, a cantora americana Pink anunciou, no Twitter, que tinha doado 500 mil dólares para os brigadistas de New South Wales. “Estou arrasada vendo o que está acontecendo na Austrália com os horríveis incêndios florestais”, ela escreveu.

Também natural da Austrália, a atriz Nicole Kidman divulgou, em seu Instagram (6,1 milhões de seguidores), 500 mil dólares. Além disso, mostrou quais são os sites e instituições para as quais as pessoas podem doar dinheiro.

“O apoio, pensamentos e orações de nossa família estão com todos os afetados pelos incêndios na Austrália. Estamos doando US$ 500.000 para os Serviços de Bombeiros Rurais que estão trabalhando tanto agora”, disse Nicole.

No final de semana, o Exército Australiano convocou 3 mil reservistas para combater o fogo no país.

Nos últimos quatro meses, os incêndios mataram mais de mil coalas e 10 milhões de hectares de vegetação foram destruídos. Até agora, são 27 as vítimas humanas fatais.

Na semana passada, pesquisadores da Universidade de Sidney afirmaram ainda que estimativas apontam que 480 milhões de animais morreram por causa do fogo. O número inclui apenas mamíferos, répteis e aves, e somente na região de New South Wales.

Hoje o primeiro-ministro, Scott Morrison, que vem sendo bastante criticado pela sua atuação, anunciou a liberação de cerca de R$ 5,6 bilhões para as regiões impactadas pelo fogo.

Em uma entrevista à rede CNN, o cientista australiano Tim Flannery, um dos mais importantes do país, afirmou que não tem dúvidas da relação entre os incêndios florestais e o agravamento da crise climática. Segundo ele, é hora de dar um basta aos que negam o aquecimento global e o ‘vício’ da Austrália no carvão (assista entrevista completa neste link).

*Texto alterado para atualizar o valor arrecadado e o número de doadores

Leia também:
Astros de Hollywood erguem a voz contra a crise climática e exigem mais ações
Estimativas apontam que 480 milhões de animais morreram nos incêndios da Austrália
Austrália: quatro meses de incêndios, devastação e mortes

Fotos: Government of Victoria City/Fotos Públicas

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta