Filhos imprudentes cheirando à fuligem

Quem dera que o carvão fosse mais usado para parir arte, feito essa do holandês Levi Van Veluw, do que gerar energia suja em termelétrica. Porque a mãe Terra não merece essa exploração incondicional. Nem respirar o resultado da queima de suas entranhas

Ler mais

Rio para além do canto e da fotografia

Como é lindo o livro “Água”, ensaio fotográfico de Valdemir Cunha. Como é triste pensar que precisamos fazer obras que sejam alerta para a necessidade do uso consciente dos recursos hídricos e para a urgência de cuidarmos de nossas bacias hidrográficas

Ler mais

Fogo na bexiga

O que você enxerga no meio do monte de riscos? É o vento? É a chuva, atingindo, assim, de soslaio direto o pescoço do homem? Viu, agora? Tenta de novo. Ou me deixa mesmo aqui, feliz de ter pirado com as obras do coletivo australiano Si ma va

Ler mais

A Bernúncia do esquecimento

A cultura popular do fandango será a grande homenageada no Encontro de Tradições, em Antonina, no litoral do Paraná, entre 20 e 22 de abril, Corre lá para respirar o ar da pracinha. Vai lá renovar os laços com a tradição

Ler mais

Maré enrolada

Quem tem coragem de puxar o fio e desmanchar tudo? E começar de novo? E construir outra coisa?: a artista paulista Karen Dolorez, que usa o crochê como instrumento para criar grandes painéis pelos muros das cidades

Ler mais

Uma proliferação qualquer

Manga, abacate, laranja, gergelim, óvulo e espermatozoides, assim esquizoides, divididos na correria tentando chegar. Como na vida. Como na arte. Como na obra da chilena Andrea Silva-Guzmán

Ler mais

Olhos do além

O catarinense Buy Chaves consolidou sua carreira de artista no Amazonas e tornou-se conhecido por suas pinturas inspiradas pelo povo e ambiente amazônicos. Um ambiente sempre em risco, por diversas razões, como o cultivo de espécies invasoras, como a tilápia

Ler mais

Procuram-se borboletas de matéria viva

Queria ver as asas batendo soltas, contra um céu qualquer, a sabor de um vento ao léu. Queria vida, queria respiração. Prefiriria vê-las, quem dera, no concreto de cimento da cidade sem árvores e sem flores

Ler mais

A nudez que evapora nos banhos japoneses

Quando a nudez simplesmente existe sem denominações e apreensões, de forma natural e livre, sem culpas e desculpas, evaporam-se medos e segredos. Assim mostra a obra de Isolda Labote, que capturou a tradição dos banhos públicos japoneses

Ler mais

Guernica na tela, no palco, na rua. Em todo lugar!

Os dançarinos de Guernica nos chamam para um espetáculo de dança. Mas o que fazem em uma hora de apresentação é ir congelando desespero, paralisando desalento, passo a passo, gesto por gesto

Ler mais