Carne moída com batata: comidinha de mãe, de esposa, de vó… de amor

receita de carne moída com batata e coentro

Numa cadeira azulzinha do posto do INSS, o homem falava ao celular por mensagem de áudio no WhatsApp:

– Tá tudo bem, sim, amorzinho. Esperando minha vez aqui…. Não, não tem muita gente, não. Agora mudou. Eles marcam hora pra atender a gente…

A reposta vinha em áudio também, com uma música de forró ao fundo:

– Mas cê vai demorar?

– Vou , não. Capaz de, saindo daqui, comprar aquele sapato com a fivela que eu te mostrei. Aí, vou pra casa. Tudo bem aí?

Ao lado, os poucos ocupantes das outras cadeiras azuizinhas tentavam se concentrar no nada, nos painéis de senha, nos rostos sem expressão dos atendentes. Mas, inevitável acompanhar a conversa melodiosa nas mensagens de áudio do celular. Impossível não imaginar a cor do sapato que seria comprado e se a fivela era dourada ou prateada.

– Escute, amorzinho, tu vai fazer  a carne moída com batata e coentro que eu gosto tanto hoje, vai?

– Tu traz o coentro? Acabou. A carne, tem, batata também. Tu traz o coentro?

E a resposta, agora, com Amado Batista ao fundo, fez as pessoas imaginarem como seria o amorzinho do futuro beneficiário do INSS. Cabelo bem pretinho, trançado até a cintura? Cabelo curto grisalho? Batom colorido mesmo? Uma mulher trabalhadeira e boa cozinheira, que no fim de semana recebe filhos e netos pra almoçar?

– Levo amor, levo, sim. Hoje, tudo que eu quero é comer carne moída, batata e coentro. Bastante coentro. Escute, milho pra galinha, precisa levar? Tava acabando.

– Ah, não te contei – dizia o amorzinho do outro lado da linha. Não te contei o que eu achei ali embaixo hoje cedinho?

– Não, não contou. O que é?

  – Sr. José Raimundo – chamou o atendente.

– Minha vez, minha flor, me chamaram aqui. Me conte depois, o que achou. E me aguarde.

Um tempo do celular, pro atendimento. E saltam papéis da pastinha de plástico que o “Sr.” José Raimundo levou pra provar o quanto já tinha trabalhado.

– A gente trabalha tanto, muito tempo. E aí, vem o governo querendo cortar os benefícios. Vou é me aposentar logo, que já mereço. Tá tudo certo aí, moço? Falta alguma coisa pra provar o tanto que eu já suei nessa vida? Olha, tinha tempo de não ter o que comer e ter que amassar cimento em construção, tremendo de fome. Uma vez, tava indo trabalhar de bicicleta e tremia tanto que parei numa lanchonete. Sem um tostão. Pedi um pastel pro dono do lugar e jurei pagar assim que recebesse a merreca. O homem foi bom. Me deu o pastel. Pois eu voltei lá e honrei. Paguei o pastel no acerto do salário. Não sou de dever. Hoje, moço, acertando essa aposentadoria aqui, tudo o que eu quero é carne moída, batata e coentro. Minha mulherzinha tá em casa preparando. Tá uma festa. O marido aposentado, né? Renda garantida. Quero muito, não. Carne moída, batata e coentro. Agora é aguardar? O quê? Correspondência? Muito bem. Até logo então.

Som de forró, mensagem de áudio a caminho, mas o que ela falou não deu mais pra ouvir.

– Tá bem, amorzinho, tá, sim. Olhe, tô saindo daqui. Tá chuviscando, mas eu trouxe o guarda-chuva, sim. É só o coentro que precisa ou o milho também? Tô indo, amorzinho, com fome, viu? Ah, e o que foi mesmo que você achou?

E as pessoas nas cadeiras azuizinhas do posto do INSS se remexeram bem discretamente. Bem que tentaram, mas não dava pra ouvir o que ela achou. Ficaram com o som de uma risada solta e a aura de uma felicidade de quem se aposentou e que logo, logo ia chegar numa casa amorosa e festiva e comer carne moída com batata e coentro. Muito coentro.

Carne moída com batata pra aqueles dias em que você só quer chegar em casa e comer comidinha caseirinha. Com coentro ou com salsinha. A receita é sua.

RECEITA DE CARNE MOÍDA COM BATATA

INGREDIENTES

400 g de carne moída
1 cebola média picada miudinha
2 dentes de alho picados ou amassados
1 pimentão vermelho, sem semente, picado em cubos miúdos
2 tomates sem semente, picados em cubos miúdos
2 batatas médias cortadas em cubos grandes e cozidas al dente, com uma pitada de sal e uma folha de louro pra dar sabor
50 ml de água (use a do cozimento da batata)
sal
pimenta do reino
pimentão defumado em pó (opcional)
noz moscada ralada na hora (opcional)
coentro do Sr. José Raimundo ou salsinha

MODO DE PREPARO

Refogue a cebola e o alho em um fio de azeite ou óleo até que a cebola fique transparente e comece a dourar.

Acrescente a carne moída, mexendo regularmente até que fique cozidinha, quase seca.   

Junte o sal, o pimentão picado, o pimentão defumado, a noz moscada e um punhado de salsinha (ou o coentro do Sr. José Raimundo). Adicione ainda o tomate e a água. Tampe a panela e deixe cozinhar por uns 5 minutinhos para concentrar os temperos.

Destampe a panela e coloque as batatas já cozidas. Mexa cuidadosamente até que a água seque e os sabores fiquem incorporados.

Na hora de servir, cubra com mais coentro do Sr. José Raimundo ou com mais salsinha. Ou com os dois.

Sirva com arroz, feijão, couve refogada e lasque gotas de uma boa pimentinha pra atiçar.

Limonada acompanha bem.

Leia também:
Manjericão para o pesto, jabuticaba para os bichos: farturas do quintal
A magia do chá do hibisco
Vamos concordar: pastel
O encontro da acelga com quinoa e macadâmia num colóquio sobre o voo do avião
Chicória com guaraná
Quibe cru para o almoço de domingo
Lagarto recheado quando temos casa cheia

Foto: domínio público/pixabay

Cássia Miguel

Mulher de marido, mãe de filho, madrasta de enteados. Começou a carreira profissional vendendo pinga e pão com mortadela na venda dos pais, em Minas. Foi bancária, revisora de jornal, rádio escuta, repórter, editora e apresentadora de TV. Hoje é especializada em media training, com foco para entrevistas em TV e vídeo. Fez jornalismo na PUCCAMP, pós graduação em Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas na USP e Análise do Discurso na PUC SP. Tudo isto sem tirar o pé da cozinha

Deixe uma resposta