Canudos plásticos não terão vez nas quadras de Wimbledon

É, a coisa está ficando mesmo feia para os canudinhos. Parece que é o fim de linha para eles. Pelo menos se depender daqueles preocupados com o impacto do plástico no meio ambiente.

Ontem (01/05) a All England Lawn Tennis Club, associação que coordena todos os campeonatos de tênis de quadra da Inglaterra, anunciou que vai banir o uso de canudos plásticos nos cafés, bares e restaurantes de seus eventos. Em substituição, serão utilizados canudos recicláveis de papel.

Além disso, em Wimbledon, serão disponibilizados 21 fontes de água e 87 bebedouros para que os espectadores e atletas possam encher suas garrafas.

A associação afirmou ainda que as lojas oferecerão sacolas de papel aos consumidores e que será feito um esforço para que todo o lixo produzido seja reciclado (no ano passado, somente 1,4% do que foi gerado acabou em aterros sanitários). Em 2017, foram jogados fora 400 mil canudinhos durante a competição.

O Torneio de Wimbledon, que este ano acontece entre 2 e 15 de julho, é um dos mais famosos campeonatos de tênis do mundo. Ao anunciar medidas como estas e se engajar em um movimento de combate ao uso do plástico de um uso só, os organizadores dão um belíssimo exemplo a outros eventos similares.

Recentemente, o governo britânico anunciou que cotonetes e canudos plásticos devem ser banidos da Inglaterra em 2019. Em janeiro deste ano, a primeira-ministra britânica Theresa May divulgou um plano para reduzir o uso de plástico e a poluição em rios e oceanos. A meta é dar um fim completo a utilização desnecessária deste material nos próximos 25 anos. Segundo ela, o objetivo é tornar o Reino Unido em um dos líderes globais na luta contra o plástico (leia mais aqui).

Em uma pesquisa realizada pela organização internacional Ocean Conservancy, o canudo aparece entre os dez resíduos mais encontrados nas ações de limpezas de praia.

Aparentemente inofensivo, ele virou uma praga ambiental. Só nos Estados Unidos, são usados 500 milhões por dia e no Reino Unido, mais 100 milhões. E assim como outros resíduos, o canudinho acaba no mar, engolidos por animais, que morrem sufocados.

Feito geralmente de poliestireno ou polipropileno, o canudo descartável pode ser reciclado, mas como é muito pequeno e leve, assim como tampas de garrafa, por exemplo, frequentemente é jogado no lixo. Sua vida útil é estimada em 4 minutos. Isso mesmo, 4 minutos! E ele leva aproximadamente 400 anos para se decompor na natureza.

Leia também:
Pare de chupar e salve os oceanos!
Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico
Baleia cachalote encontrada morta na Espanha tinha 29 kg de plástico no estômago
Mancha de lixo do Pacífico é 16 vezes maior do que se supunha
União Europeia contra o plástico
Estados Unidos proíbem uso de micropartículas de plástico em cosméticos
Criaturas dos abismos mais profundos dos oceanos têm plástico no estômago

Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta

Foto: reprodução Facebook Wimbledon

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta