Canudos plásticos e copos e embalagens de isopor serão banidos de Vancouver em 2019

canudos

A lista só aumenta. Desta vez foi Vancouver, no Canadá, que se juntou a cidades do mundo inteiro que decidiram dar um basta no uso excessivo de plástico e isopor.

Como parte do plano municipal Zero Waste 2040, um projeto de lei baniu a distribuição de canudos plásticos e embalagens de isopor a partir de 1º de junho de 2019. A determinação é válida somente para restaurantes, bares, cafés e eventos, mas não inclui o consumo destes itens em residências particulares.

A multa para as empresas que não cumprirem a nova lei será de $250.

Além disso, a prefeitura de Vancouver determinou que os comerciantes adotem alguns destes dois procedimentos: fim da distribuição de copos descartáveis e sacolas plásticas ou de papel ou então, a cobrança pela oferta dos mesmos.

Caso a adoção destas normas não surta o efeito desejável na redução do volume de lixo gerado na cidade até 2021, uma nova lei deverá entrar em vigor. A intenção é diminuir a quantidade de resíduos de um uso só, sobretudo aqueles fabricados com plástico, como canudos, colheres de café, talheres e embalagens, que acabam tendo como destino aterros sanitários ou plantas de incineração.

“Somos uma cidade costeira e por causa do impacto significativo do plástico no meio ambiente, achamos importante agir”, afirmou Albert Shamess, diretor de Gestão de Resíduos e Recuperação de Recursos, ao The Globe and Mail.

Atualmente 2,6 milhões de copos descartáveis e 2 milhões de sacolas plásticas são jogados no lixo, em Vancouver, todas as semanas. E 57 milhões de canudinhos são usados, por dia, no Canadá.

Califórnia, Inglaterra e Nova York são alguns dos lugares que também anunciaram a proibição da utilização de canudos plásticos.

O canudinho virou uma praga ambiental. Só nos Estados Unidos, são usados 500 milhões de canudos plásticos por dia e no Reino Unido, mais 100 milhões. E assim como outros resíduos, eles acabam no mar, engolidos por animais, que morrem sufocados.

Feito geralmente de poliestireno ou polipropileno, ele pode ser reciclado, mas como é muito pequeno e leve, assim como tampas de garrafa, frequentemente é jogado no lixo. Sua vida útil é estimada em 4 minutos. Isso mesmo, 4 minutos! E ele leva aproximadamente 400 anos para se decompor na natureza.

Acredita-que que 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos são despejadas por ano nos oceanos, criando colossais ilhas de detritos. Especialistas afirmam que até 2050, haverá mais lixo do que peixes nos mares do planeta.

Leia também:
Pare de chupar e salve os oceanos!
Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico
Baleia cachalote encontrada morta na Espanha tinha 29 kg de plástico no estômago
Mancha de lixo do Pacífico é 16 vezes maior do que se supunha
União Europeia contra o plástico
Estados Unidos proíbem uso de micropartículas de plástico em cosméticos
Criaturas dos abismos mais profundos dos oceanos têm plástico no estômago

Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta

 

Foto: domínio público/pixabay

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta