Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico

Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico

Aparentemente inofensivo, o canudinho virou outra praga ambiental. Só nos Estados Unidos, são usados 500 milhões de canudos plásticos por dia e no Reino Unido, mais 100 milhões. E assim como outros resíduos, eles acabam no mar, engolidos por animais, que morrem sufocados.

Feito geralmente de poliestireno ou polipropileno, o canudinho pode ser reciclado, mas como é muito pequeno e leve, assim como tampas de garrafa, por exemplo, frequentemente é jogado no lixo. Sua vida útil é estimada em 4 minutos. Isso mesmo, 4 minutos! E ele leva aproximadamente 400 anos para se decompor na natureza.

Pois os espanhóis Víctor Sánchez, Enric Juviña, Michael Baraffé e Carlos Zorzano decidiram que era hora de dar um basta nesse problema, ao mesmo tempo em que perceberam uma oportunidade de negócio. Eles criaram o Sorbos, um canudo comestível, biodegradável e reciclável!

“Eu trabalhava como bartender e pensei em fazer um produto que oferecesse uma experiência diferente ao consumidor, mas de maneira sustentável”, contou Sánchez ao Conexão Planeta.

Os canudos são feitos com açúcar, gelatina bovina e amido de milho. Atualmente eles podem (ou não) ser aromatizados com seis sabores diferentes: limão, lima, morango, canela, maçã verde, chocolate e gengibre. Se ingerida, cada unidade tem 24 calorias.

O canudo espanhol é comestível, biodegradável e reciclável

O grande desafio dos espanhóis foi desenvolver um canudo comestível e biodegradável que não se desfizesse em contato com líquidos. Depois de muitos testes, o Sorbos dura até 25 minutos em bebidas frias, nas geladas por cerca de uma hora. “Em nenhum momento ele muda o gosto da bebida. Este é um ponto essencial para entender o Sorbos”, diz Sánchez. “Levamos mais de um ano para conseguir uma formulação exata para que o produto cumprisse sua função de canudo, sem alterar o sabor da bebida e nem desmanchar”.

Baseada em Barcelona, a startup que fabrica o Sorbos já ganhou dois prêmios na Espanha, nas categorias de Inovação e Sustentabilidade. A empresa tem recebido pedidos de encomendas de países como Alemanha, França, Itália e está chegando agora, através de um parceiro comercial, em Portugal.  O preço da unidade ainda é mais caro do que a de um canudo de plástico, mas Sánchez acredita que com o aumento da produção, o canudinho comestível ficará cada vez mais barato.

O canudo tem seis sabores diferentes

Em setembro, mostramos aqui no Conexão Planeta, a campanha bem-humorada da organização americana Lonely Whale Foundation, chamada de Strawless Ocean (Oceanos sem Canudos), com a hashtag #StopSucking. Em inglês, o verbo suck tem um significiado dúbio: pode se referir tanto a chupar, como a encher o saco. A iniciativa quer alertar sobre o problema do lixo plástico nos oceanos, e mais especificamente, dos canudos (leia mais aqui).

Uma pesquisa realizada pela organização Ocean Conservancy listou os dez resíduos mais encontrados nas ações de limpezas de praia. Aqui estão eles:

  1. Bitucas de cigarro;
  2. Sacolas de plástico;
  3. Embalagens de alimentos;
  4. Tampas de plástico;
  5. Garrafas plásticas;
  6. Copos, pratos, garfos, facas e colheres plásticas;
  7. Garrafas (vidro);
  8. Latas;
  9. Canudos;
  10. Sacolas de papel

Então, enquanto ainda não temos uma alternativa ecologicamente correta como o Sorbos no Brasil, que tal dar um basta em canudos? Será que precisa mesmo usar o canudinho para tomar um suco?

Fotos: divulgação Sorbos

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

48 comentários em “Canudo comestível e biodegradável é alternativa ao plástico

    • 31 de julho de 2018 em 11:19 AM
      Permalink

      Onde consigo comprar os canudos de papel no Brasil, mais especificamente em São Paulo ou RJ?

      Resposta
  • 16 de novembro de 2017 em 3:57 PM
    Permalink

    Nunca entendi muito bem o uso dos canudos. Mas lembro perfeitamente que antigamente havia uns canudos de papel…não seria tb o caso de trazê-los de volta?

    Resposta
    • 16 de novembro de 2017 em 4:39 PM
      Permalink

      Você tem toda razão, Gleyse! Será que precisamos mesmo de canudos? E sim, os de papel eram bem mais sustentáveis.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
      • 10 de abril de 2018 em 11:30 AM
        Permalink

        Oi. Muito bom, mas a naba desse canudo, pra quem é vegetariano, é que é feito de gelatina bovina. Hum…

        Resposta
        • 18 de abril de 2018 em 5:52 PM
          Permalink

          Pensei a mesma coisa, Suzana, porque sou vegana mas o canudo de papel é uma alternativa legal, quem sabe até mais barato, né?

          Resposta
        • 20 de abril de 2018 em 9:55 PM
          Permalink

          Foi o mesmo que pensei! Fiquei super empolgada com o canudo comestível, mas com gelatina bovina aí já não foi tão legal assim :(

          Resposta
    • 21 de novembro de 2017 em 6:33 PM
      Permalink

      O canudo da Sorbos em Portugal é mais barato que o de papel. Além disso o canudo de papel tem uma vida útil média de 2m, e o tempo médio de consumo de bebida é de 4m. As demais alternativas são os canudinhos de inox ou bambu, mas tudo com um custo superior e de difícil limpeza

      Resposta
      • 13 de março de 2018 em 1:30 PM
        Permalink

        boa tarde Pedro. vc já comprou esses canudos da Sorbos?

        Resposta
        • 13 de março de 2018 em 7:11 PM
          Permalink

          Olá Doris, sou um dos representantes em Portugal e para os países de língua portuguesa. Tenho alguns em stock ;)
          @sorbosportugal

          Resposta
  • 17 de novembro de 2017 em 9:41 AM
    Permalink

    Bom dia, 2 erros no texto.
    1o, canudos são feitos em PP, polipropileno.
    2o, alternativa para biodegradação no Brasil existe, represento a mesma ha 7 anos. O mercado que é desinteressado. Qualquer centavo que aumente o custo, ninguém quer, infelismente. Nossa tecnologia recicla e biodegrada em aterros sem mudar as propriedades fisicas de qualquer produto normal.
    http://www.goecopure.com

    Resposta
    • 18 de novembro de 2017 em 8:36 AM
      Permalink

      Celso,
      Obrigada pela mensagem!
      Canudos podem ser feitos tanto com poliestireno quanto polipropileno.
      Bom saber que já existem empresas no Brasil fazendo o trabalho de biodegradação. Parabéns!
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
    • 23 de abril de 2018 em 6:38 PM
      Permalink

      Verdade, os fabricantes recusam preços adicionais na produção porque impactam a porcentagem do lucro. É uma mentalidade arraigada, que faz com que pessoas investidas de cargos executivos esqueçam que são seres humanos, responsáveis pelo futuro pelo menos de sua própria prole, o que obviamente também esquecem. Tentar conscientizá-los é perda de tempo. Mas uma ampla campanha de divulgação das alternativas ao plástico e aos não-degradáveis, pode criar a médio prazo um consumidor maduro, que exija e prefira o que é melhor para o planeta, mesmo que custe um pouco mais.

      Resposta
  • 21 de novembro de 2017 em 6:28 PM
    Permalink

    Eu sou um dos representantes da Sorbos em Portugal e posso adiantar que estamos a trabalhar para levar o produto para o Brasil, mas as vossas taxas dificultam e muito a entrada no mercado. Suzana faltou no seu artigo evidenciar as vantagens do canudinho. O mesmo serve para evitar que a bebida entre em contacto directo com os dentes e os manche, ou no caso da caipirinha para que o gelo não lhe toque nos lábios e cause uma sensação desagradável, serve para evitar que se suje, principalmente as crianças pequenas ou mesmo para conseguir tomar a sua bebida como uma água de côco.

    Resumindo, oferecer um valor acrescido, convertendo o descartável em conteúdo sustentável através da inovação.

    Resposta
    • 17 de abril de 2018 em 11:27 PM
      Permalink

      Olá, eu tenho interesse em investir nessa fase do Brasil como faria pra entrar em contato com vocês ?

      Resposta
      • 3 de maio de 2018 em 1:44 AM
        Permalink

        Olá, entre em.contato comigo. Tenho conexão direta com o fabricante. Neste momento estamos trabalhando para homologação do.produto no Brasil junto aos órgãos competentes.
        Abraços,

        Jordão
        jordaosantos@gmail.com

        Resposta
  • 11 de dezembro de 2017 em 3:00 PM
    Permalink

    gente substituir plastico por gordura animal nao eh legal…

    Resposta
    • 13 de março de 2018 em 7:03 PM
      Permalink

      Estamos a trabalhar numa versão vegan. Irá estar disponível até Junho

      Resposta
      • 10 de abril de 2018 em 7:30 AM
        Permalink

        Também acho que para ser coerente tem que ser vegano e não utilizar produtos transgênicos, como milho e soja. Só usar se for milho e soja orgânica.

        Resposta
      • 17 de abril de 2018 em 8:43 PM
        Permalink

        Gostaria de Aderir seu produto quando pronto

        Resposta
    • 9 de abril de 2018 em 3:35 AM
      Permalink

      Isso que pensei. Vim ler a matéria toda feliz e paaaahhh tava la o boi morto no meio disso tudo. :(
      Aqui no Brasil existem os de vidro, inox ou bambu, mas pra uma água de côco, por exemplo, só um biodegrável mesmo.

      Resposta
    • 10 de abril de 2018 em 4:45 PM
      Permalink

      Poxa, assim fica difícil. Respeito mto a ideoligia de vcs, mas pelo menos não agredir o ambiente com o lixo deixado já é, pelo menos, um começo. Agora, não vejo pq, simplesmente, não usar canidinho algum. Problema resolvido. Eu não uso. Pra água de coco basta encaixar aquela canaletinha de metal e despejar num copo ou caneca. Eu sempre carrego a minha para não usar descartáveis. Acho q faz anos q não uso canudinho. Acho totalmente dispensável.

      Resposta
  • 21 de dezembro de 2017 em 7:46 PM
    Permalink

    Achei legal mas concordo com o comentario acima que não gostei de saber da gelatina bovina!! Prefiro evitar canudo ou usar outra opção!! Espero que tenham planos de uma versão vegana para assim ser realmente sustentavel! Exploração animal anula a sustentabilidade do produto. Gelatina bovina não tem como meeesmooo!

    Resposta
    • 13 de março de 2018 em 7:08 PM
      Permalink

      Em termos de desenvolvimento de produto, tivemos de optar pela gelatina bovina por uma questão de custo final do produto. As opções vegetais ou de algas fazem subir o preço demasiado o que tornaria o produto desinteressante. Mas como o objectivo maior é o respeito pela natureza posso adiantar que em breve todos os nossos produtos serão aptos para vegans

      Resposta
      • 13 de junho de 2018 em 1:02 PM
        Permalink

        Gostaria de saber como posso fazer parte deste projeto. Gostei muito da opção dos canudos, já é um começo muito bom para melhorar a ideia das pessoas sobre pequenas mudanças geram grandes resultados para a natureza. Moro no Estado de Mato Grosso e gostaria de vender seus produtos. Meu e-mail milkajari@hotmail.com.

        Resposta
  • 12 de março de 2018 em 3:34 PM
    Permalink

    Excelente matéria, Suzana. Vivo na Espanha e conheço o Sorbos, e realmente é impressionante essa ideia que tiveram. Trabalho com Marketing e Retail (com prioridade para projetos sustentáveis) e quero levar o produto ao Brasil. Te convido no LinkedIn, para seguirmos contato.

    Resposta
  • 12 de março de 2018 em 6:21 PM
    Permalink

    Gostei da idéia, porém gordura animal não é legal. Gostaria de tentar conversar com alguém, pois quero fazer meu TCC baseado no consumo compulsivo de canudos de plásticos.

    Resposta
    • 9 de abril de 2018 em 7:08 AM
      Permalink

      Olá Juliana, pode falar comigo. Pedro Cadete geral@soditud.pt, sou representante da Sorbos em Portugal

      Resposta
      • 19 de setembro de 2018 em 8:37 PM
        Permalink

        Olá. Boa tarde. Tem um mercado muito bom no Brasil e alguns estados já estão sendo obrigados a mudar para canudinhos biodegradáveis. Moro no Tocantins e queria ser representante aqui. E num mercado novo que vai ser obrigatório a mudança dos canudos de plástico. adm.jesuino@gmail.com Whatsapp (63) 981154122

        Resposta
  • 9 de abril de 2018 em 10:43 PM
    Permalink

    Pois é, mas por não ser vegano, não adianta nada! Livra os oceanos do plástico, mas usa matéria prima de uma das indústrias mais poluidoras do mundo: a pecuária! Salva os oceanos, mas desmata nossas florestas!! Eles têm que pesquisar alternativa vegana!!!

    Resposta
  • 9 de abril de 2018 em 11:10 PM
    Permalink

    Oi Suzana, tudo bem? Apesar de não concordar com o uso da gelatina bovina, achei a ideia bem legal. O unico erro da matéria foi ignorar completamente um produto excelente da Mentah!, um canudo ecológico, reutilizável, lavável e que te acompanha pra tudo. Nada de jogar embalagens de Sorbo’s fora. O da Mentah é de vidro tratado, tem vários modelos e é um investimento, já que você compra pra nunca mais comprar, a não ser que quebre o seu né?!

    Se quiser dar uma olhada no que to falando, é esse aqui http://mentah.com.br/#ocanudo

    Não trabalho pra marca, mas sou muito dedicada a essas causas e acho que é bom compartilharmos essas coisas.
    Agradeço a matéria. :)

    Resposta
    • 11 de abril de 2018 em 9:11 AM
      Permalink

      Oi Bruna, obrigada pela dica! Vou dar uma olhada no site.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 9 de abril de 2018 em 11:13 PM
    Permalink

    Engraçado os caras querem reduzir resíduos e enfiam cada canudo em uma embalagem de papel tingido o papel pode degradar mais rápido.. mas o meio de produção dele chega a ser mais danoso que o do plástico exige muita água e a criação de muitos desertos verdes, ainda mais papel tingido ou impresso o q dificulta a reciclagem

    Resposta
  • 10 de abril de 2018 em 10:48 AM
    Permalink

    Bom dia
    Já está disponível para compra no Brasil ?

    Resposta
  • 11 de abril de 2018 em 6:55 AM
    Permalink

    Não sou vegano, porém ter resido animal não é legal.
    Estou aguardando o meu de inox.
    To no hospital e tô aguniado com tanto plastico

    Resposta
  • 11 de abril de 2018 em 11:13 AM
    Permalink

    Eu tenho um canudinho de plástico que está sempre em minha bolsa, Então em qualquer lanche, janta, festa, etc, só tiro ele da bolsa e pronto. Em casa é só lavar bem e usar pela vida toda!

    Resposta
  • 11 de abril de 2018 em 6:22 PM
    Permalink

    Nada que utilize derivado de animais pode ser considerado algo benéfico para a natureza. Todo animal considerado de produção causa impacto ambiental, sem contar a crueldade toda envolvida na cadeia de exploração para que possam ser abatidos. Sem chance disso ser algo a ser adotado por mim um dia.

    Resposta
  • 15 de abril de 2018 em 5:55 PM
    Permalink

    Boa alternativa, mas falar que é saudável sendo que é feito de açúcar, não dá!! Açúcar não é saudável em nenhuma quantidade. Entendo que não é calórico, mas saudável é muito diferente de calorias…

    Resposta
  • 18 de abril de 2018 em 10:48 AM
    Permalink

    Muito boa a ideia, mas na prática, salva o oceano e mata os boizinhos :( Espero que surja uma receita melhor, com gelatina de agar-agar, vegetal.

    “Os canudos são feitos com açúcar, gelatina bovina e amido de milho. ” NÃO FAZ SENTIDO!

    Resposta
  • 19 de abril de 2018 em 11:59 AM
    Permalink

    Porque os canudos são feitos de PP ?

    Resposta
  • 8 de junho de 2018 em 7:51 AM
    Permalink

    Lembro de uma época que eu tinha 8 anos já trabalhava na feira com meu tio e quando parava para o lanche o caldo de cana era em um suporte de plástico resistente e o colo era em papel … não sei se era higiênico mas era uma delícia e estou vivo kķkk

    Resposta
  • 25 de julho de 2018 em 1:02 PM
    Permalink

    Gente trocar o plástico por gelatina animal ñ é legal mesmo. Vamos usar d papel

    Resposta
    • 9 de agosto de 2018 em 9:05 PM
      Permalink

      O papel é mais danoso para.o ambiente do que pensa, pense que precisa abater arvores, passar na indústria de celulose, poluir águas e rios para que finalmente possa usar canudo de papel. Sem esquecer que papel em contacto com gelo, queima…

      Resposta

Deixe uma resposta