Campanha da Anistia Internacional exige que governo brasileiro proteja direitos dos povos indígenas e Amazônia

Campanha da Anistia Internacional exige que governo brasileiro proteja direitos dos povos indígenas e Amazônia

Em maio de 2019, a Anistia Internacional tinha feito o alerta: a situação dos povos indígenas e da Floresta Amazônica se tornaria insustentável na estação de seca, a menos que o governo mudasse de postura.

O alerta foi menosprezado e os incêndios florestais, comuns nessa época do ano, mas agravados pelo aumento do desmatamento na Amazônia em meses recentes, pioraram ainda mais a situação.

As queimadas foram notícias, com alarde, nos principais meios de comunicação mundiais e desencadearam uma séria crise diplomática no Brasil, já que outros países questionaram a falta de ação e interesse do governo de Jair Bolsonaro em realmente combater o fogo (leia mais aqui).

Por isso, a Anistia Internacional lançou uma campanha internacional para chamar ainda mais atenção sobre o problema e exigir medidas urgentes do governo do Brasil para garantir os direitos do povos indígenas e a proteção da Floresta Amazônica.

Abaixo segue o texto da campanha:

“O governo do presidente Jair Bolsonaro tem incentivado o loteamento ilegal de terras indígenas na Amazônia, resultando em ameaças e intimidações feitas por invasores ilegais contra povos indígenas e levando a um número estimado de 75 mil incêndios na floresta este ano.

Esta é uma catástrofe ambiental e uma crise de direitos humanos. E nós precisamos agir agora! Proteger os direitos dos povos indígenas é vital para proteger a Amazônia!

Os incêndios precisam ser apagados. Mas o governo do presidente Bolsonaro cortou deliberadamente fundos e enfraqueceu instituições civis como a Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que ajudam a proteger e a monitorar a situação da Amazônia e dos povos indígenas que nela vivem”.

Se você também concorda com as posições acima e acredita que é necessário fortalecer a proteção dos territórios indígenas e das reservas ambientais, restabelecendo o financiamento à FUNAI e ao IBAMA, realizando mais monitoramento e patrulhas para impedir invasões de terra e responsabilizando os autores dos incêndios ilegais, do desmatamento e dos loteamentos ilegais de terra, assine já a petição online da Anistia Internacional neste link.

Junte-se a milhões de pessoas do mundo inteiro que querem que nosso governo cuide melhor de uma das maiores riquezas dos brasileiros e do planeta: a Floresta Amazônica e os povos que vivem nela!

Leia também:
Funcionários do Ibama divulgam carta manifesto em que alertam sobre “colapso da gestão ambiental”
Triste com a destruição da Amazônia, o escritor Milton Hatoum escreve poema sobre a floresta
Na iminência de um ataque, povo Xikrin luta para defender seu território
Centro de cultura indígena Huni Kuin é destruído pelo fogo no Acre
Incêndios e queimadas na Amazônia: por trás da cortina de fumaça, alguns esclarecimentos para a busca de soluções

Foto: divulgação Anistia Internacional

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta