Califórnia, Nova York e Washington se unem contra Trump e formam aliança climática


Donald Trump mal anunciou a saída dos EUA do Acordo de Paris e os três estados americanos declararam a formação da Aliança Climática dos Estados Unidos, com o intuito de não só de honrar os compromissos assumidos por Barack Obama em 2015, com outros 193 países, mas de convencer o país de que combater o aquecimento global é vital.

Só pra ilustrar a força dessa iniciativa, Califórnia, Nova York e Washington representam 1/5 da população e do PIB total do país e produziram 11% das emissões de gases de efeito estufa totais norte-americanas em 2014, de acordo com a Agência de Informação Energética do país. Nada mal, hein?

Mas é claro que essa articulação não aconteceu da noite para o dia. Cansado das fanfarrices do presidente eleito e preocupado com seu desejo propagado aos quatro ventos de abandonar o acordo climático,o governador da Califórnia, Edmund Gerald Brown Jr. – mais conhecido como Jerry Brown –, já vinha “mexendo os pauzinhos” para convencer outros estados a ignorar Trump. Por isso, há alguns meses, anunciava que, independente da política ambiental do país, manteria os programas de corte de emissões de gases e de exploração de energia renovável.

Mas ele foi além das fronteiras para garantir apoio e força para enfrentar “a besta”. No mês passado, os ministros do Meio Ambiente do Canadá e do México estiveram em São Francisco para assinar um pacto liderado pela Califórnia para reduzir a poluição que aumenta os gases e o aquecimento do planeta. Advogados desse Estado também estão se preparando para enfrentar qualquer tentativa da Casa Branca de enfraquecer os critérios de emissão de poluentes por automóveis na Califórnia. Ou seja, Brown não está de brincadeira. Inspirador.

A Aliança Climática dos Estados Unidos foi anunciada por meio de um comunicado assinado por ele e convida qualquer estado americano a juntar-se a eles. O que certamente não deve demorar já que 30 estados já estão dando andamento a seus planos para aumentar o uso de energias renováveis, o que certamente não sofrerá qualquer mudança com a decisão de Trump.

Vale dizer que, esta semana, Nova York anunciou investimentos da ordem de 1,5 milhões de dólares em eficiência energética, sendo 150 milhões para projetos de energia solar. Isto representa o maior investimento de um estado americano em energias renováveis! E o governo de NY ainda enfatizou que, com essa medida, serão criados 40 mil postos de trabalho até 2020, o que vai contra os argumentos usados pelo presidente para respaldar suas ideias.

São figuras como Brown e seus parceiros que nos animam diante de tantas insanidades – a mim, tenham certeza!! – e provam que vale lutar pelo que se acredita, não importa o tamanho e o poder do adversário. Ninguém é pequeno demais quando a causa é pelo bem comum.

Foto: HypnoArt/Pixabay

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Um comentário em “Califórnia, Nova York e Washington se unem contra Trump e formam aliança climática

Deixe uma resposta