Caixas da Natureza: uma experiência incrível para conhecer o Brasil

Em 2014, iniciamos os encontros do programa Ser Criança é Natural (que dá nome a este blog) em São Paulo. Depois das primeiras edições, recebemos mensagens de diferentes estados do país solicitando que esses encontros acontecessem também fora da capital paulista. Entendemos, então, que brasileiros de qualquer região – crianças, em particular – querem ‘estar do lado de fora’ e brincar com a natureza. Então, a questão que se apresentou para nós foi: como reunir todo mundo para brincar junto, estando em lugares diferentes?

Desde o primeiro encontro do Ser Criança é Natural, incentivamos os participantes a coletar os elementos da natureza que consideram os mais interessantes, que mais tocam seu coração. Quando terminamos o passeio, nos reunimos em roda e, em seu centro, todas as crianças organizam seus ‘tesouros’. Separam por tamanho, por igualdade ou semelhança, criando formas. É lindo ver como cada criança coloca sua identidade na organização de sua coleta.

Ao contar sobre seus achados, as crianças não apenas contam que sobre a semente encontrada, mas falam de sua semelhança com imagens conhecidas, como um rosto humano, por exemplo. A folha não é apenas uma folha, mas uma máscara. Os elementos da natureza encontrados pelas crianças no caminho passam a ser criações. E, assim, percebemos o quanto este momento de compartilhar e comentar os elementos é tão especial quanto o de encontrá-los.

Independente do parque e do que é coletado pelas crianças, a brincadeira de encontrar seus ‘tesouros’ no percurso é permanente. E se revisitarmos nossas memórias de infância, perceberemos que o ato de coletar gravetos, flores, pedrinhas naturalmente virá à nossa mente, em algum momento.

Essa brincadeira pode ser feita em qualquer lugar, por qualquer grupo. E notamos que compartilhar achados na natureza com quem a gente não conhece pode ser ainda mais especial. E essa foi nossa principal inspiração para criar a iniciativa – que a gente também chama carinhosamente de ‘brincadeira’ – Caixas da Natureza, este ano.

Com ela, promovemos trocas de elementos da natureza – com os quais os participantes se deparam no cotidiano – entre famílias ou grupos de crianças de todo o Brasil. E, assim, a brincadeira dos tesouros da natureza saiu dos parques de São Paulo e está presente em muitos cantos do Brasil. E tem sido uma experiência incrível!

Até o momento, mais de 400 caixas viajaram pelo país. E pensamos, maravilhadas: Quanta imaginação e criatividade viajou junto também? Os participantes de lugares muito diversos compartilharam da natureza que existe perto deles e receberam as brincadeiras e criações das crianças de outros cantos do país. É uma oportunidade única de conhecer o Brasil com um outro olhar, além de outras infâncias e a nós mesmos.

Foto: Renata Stort

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Deixe uma resposta