Cafés e restaurantes de Berkeley, na Califórnia, começam a cobrar por copo descartável

Cafés e restaurantes de Berkeley, na Califórnia, começam a cobrar por copos descartáveis

A partir de agora, quem quiser comprar um café, milkshake ou suco na rua, ou tem que levar seu copo de casa ou colocar a mão no bolso, mais especificamente, na carteira. Pelo menos na cidade de Berkeley, no estado americano da Califórnia.

Desde o dia 1o de janeiro, entrou em vigor uma lei municipal que determina que estabelecimentos comerciais cobrem pelos copos descartáveis. O valor é 25 centavos de dólar, cerca de 1 real. A nova legislação estabelece ainda que eles sejam biodegradáveis.

A partir do segundo semestre de 2020, restaurantes, bares e lanchonetes terão ainda que fornecer embalagens para viagem (quentinhas) que sejam compostáveis e apenas pratos e utensílios reutilizáveis para quem está comendo. Outros itens descartáveis, como tampas e agitadores (para mexer a bebida), só deverão ser distribuídos quando solicitados.

O objetivo é estimular a população a carregar seus copos de refil e evitar a geração de resíduos. A grande maioria dos copos distribuídos nas principais cadeias de café do mundo não são reciclados e acabam sendo incinerados em lixões ou aterros sanitários, provocando a emissão de gases poluentes na atmosfera (leia mais abaixo).

Segundo Sophie Hahn, autora do projeto de lei, que foi aprovado por unanimidade, cerca de 40 milhões de copos são jogados fora, por ano, em Berkeley. “Se conseguirmos reduzir este número pela metade, já conseguiremos um impacto gigantesco”, afirmou.

Desperdício global

Estima-se que, todos os anos, 58 bilhões de copos sejam jogados no lixo no mundo. Feitos de uma mistura de plástico e papel, eles são geralmente usados uma única vez e por aproximadamente 30 minutos. Para fabricá-los, milhões de árvores são derrubadas. Sozinha, a rede americana de cafés Starbucks, que nas últimas três décadas abriu duas lojas a cada dia nos quatro cantos do planeta, utiliza 4 bilhões de copos por ano.

Mas como assim?”, você deve estar se perguntando. “Copos não são recicláveis? Nas lojas Starbucks, não existem lixeiras informando sobre a reciclagem?” O problema é que os copos usados atualmente pela rede e outras cententas de cafés e restaurantes nacionais e internacionais – provavelmente, inclusive a padaria na esquina da sua casa -, acabam não sendo reciclados.

Estes tipos de copos são fabricados com papel, mas contêm uma fina lâmina de plástico os envolvendo para torná-los a prova d’água. Sem esta camada plástica, o copo facilmente entraria em decomposição ou seria reciclado, mas com o plástico, a reciclagem fica comprometida. Ela exige muito mais energia e o uso de substâncias químicas especiais.

*Com informações da NBC Bay Area

Leia também:
Hannoccino: com ele, copo de café não vai mais para o lixo em Hannover!
Nova York proíbe uso e venda de embalagens, pratos e copos de isopor
Starbucks anuncia uso de copos (realmente) recicláveis
Aeroporto de São Francisco bane garrafas plásticas

Foto: Creative Commons/Ross Varrette on unsplash

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta