Sol e água na medida certa

heliconia - plantas precisam de sol e água na medida certa

Em geral, ainda pequenas, as mudas vendidas no comércio possuem torrões recém formados de plantas jovens com raízes tenras e terra leve cultivadas, num regime ideal de regas regulares e adubação adequada. Muitas vezes, ao plantá-las em nosso jardim ou em vasos dentro de casa, estas mudas sofrem uma adaptação para o novo regime de luz e de regas, fazendo com que muitos se sintam frustrados por não conseguir manter a planta com o aspecto original, aquele da hora da compra.

Algumas pessoas ou regam de menos ou demais, causando a morte das pobrezinhas por afogamento ou por ressecamento. Pode acontecer ainda o apodrecimento das folhas por não se saber ao certo a quantidade exata de água e a forma adequada de regar.

É importante saber que mudanças nas plantas sempre ocorrerão. Algumas num espaço de tempo maior do que em outras. Por uma série de diferentes fatores. Talvez porque a planta seja mais rústica e resistente às flutuações do clima e da luminosidade. Mas é preciso ter em mente que é mesmo difícil manter para sempre aquela mesma floração dos vasos cultivados em estufas, comprados no varejo. O melhor mesmo é procurar um bom viveiro e aproveitar o conhecimento dos funcionários e perguntar tudo que for preciso saber.

Plantas podem hibernar, diminuir o metabolismo ao mínimo até  que possam desfrutar das condições ideais de desenvolvimento.

Um ótimo exemplo disto acontece quando uma grande árvore cai e depois de dois meses, milhares de plantas que antes sucumbiam à escassez  do sol, passam a crescer e tomar forma. O mesmo acontece num vaso dentro de casa, quando o colocamos ao ar livre, depois da morte da planta original.

Das plantas disponíveis no comércio, as mais resistentes às mudanças são as Samambaias, Palmeiras, Orquídeas, Violetas. Com um pouco mais de luz dentro de casa, pode-se cultivar as Suculentas (como Flor de Pedra e Calanchoes).

Para decidir qual a melhor planta para cultivar na sua casa ou jardim, é preciso avaliar as horas de luz, disponibilidade de água e forma de regar. Samambaias gostam de gotículas de água em forma de spray, assim como as Palmeiras. Mas atenção: não podem ficar com água acumulada no fundo do vaso.

samambaia-800

Samambais devem ser molhadas com borrifadores de água

Já as Violetas gostam de absorver a água do pratinho, mas não devem ficar com a água parada nas raízes. Como possuem pelinhos nas folhas, não devem ser molhadas. As orquídeas gostam de banho. Mas depois, é necessário secá-las. As suculentas gostam de pouca água, também absorvidas do pratinho.

A cor da flor e da folha, na maioria das vezes, revela a intensidade da luz do sol que foi absorvida. Quanto mais próximo do vermelho, maior número  de horas de exposição solar. Quanto mais escuras as folhas, mais resistência ao ambiente semi-sombreado.

É muito importante saber as condições de cultivo de uma planta na hora de comprá-la para poder recriar as mesmas condições em casa. Com frequência, o fornecedor sabe informar, caso contrário, você acabará  descobrindo  de acordo com as reações de sua planta ao novo ambiente, tenha em mente que se a planta cresceu no sol, ela é um exemplar de sol, se ela cresceu na sombra, é um exemplar de sombra. Tudo parece muito claro até que elas sejam transferidas para lugares diferentes sem que você saiba.

suculentas-800

Para as suculentas, pouca água e sempre no pratinho

Quando plantamos uma planta de sol na sombra ela terá que se readaptar ao novo regime de luz,  passará a crescer rapidamente produzindo folhas menores e de coloração mais pálida e se contorcerá em direção a luz (fenômeno conhecido como fototropismo), produzirá  menos ou cessará a produção de flores.

Poderá sofrer infestação por fungos e podridão por excesso de água, pois na sombra a terra custa quatro vezes mais à secar.

Em contrapartida, um exemplar que cresceu na sombra  quando exposto ao sol diretamente, principalmente durante as horas mais quentes do dia, poderá sofrer graves queimaduras e trocar pouco a pouco todas as folhas ( é o caso das Palmeiras) até ter  se adaptado, se possível  produzindo folhas e flores mais coloridas e em maior quantidade.  Caso seja contrário à natureza da espécie, poderá regredir gradualmente, ocorrendo o ressecamento e queimaduras nas folhas e caule e em alguns casos, perda da colocação original da planta (desbotamento). Por isso, é muito importante saber um pouco  do ambiente original da espécie à fim de reproduzir as mesmas condições de cultivo na nossa casa.

orquidea-800

Orquídeas (na foto acima), Samambaias, Palmeiras e Violetas são bastante resistentes à mudanças

No Brasil, em todo o território, existem matas de galeria  ou mata ciliar (mata  que rodeia os cursos d’água) onde desfrutam da umidade espécies como Samambaias, Filodêndros, Jibóias, Palmeiras, folhagens como Marantas e Shefleras, e algumas árvores frutíferas como Pitangueiras, Uváias e até mesmo, Guaraná e Cacau.

Estas plantas são adequadas para lugares semissombreados e úmidos e podem ser encontradas em bons viveiros. São bastante resistentes desde que não lhes falte umidade.

Então, agora é só olhar em volta para saber qual planta se adaptará melhor na sua casa: uma que precise de sol ou sombra. A escolha é sua! Bom plantio!

Leia também:
Cada planta com seu torrão
Terra de muitos tons

Foto: domínio público/pixabay

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

Liliana Allodi

Geógrafa, paisagista, educadora ambiental e ilustradora científica. Começou a carreira em São Paulo como consultora paisagística. Durante 10 anos viveu no exterior (Austrália, Israel e USA) e neste último país, firmou suas habilidades para trabalhar com crianças. Atualmente dá aulas de horticultura para alunos do Ensino Fundamental, em Brasília. Também desenvolve projetos junto à Cia da Horta para centros de ensino, clubes e empresas.

15 comentários em “Sol e água na medida certa

Deixe uma resposta