Brasileiros Sonia Guajajara e Carlinhos dos Santos recebem prêmio da União Internacional pela Conservação da Natureza

Guajajara e Carlinhos dos Santos recebem prêmio da União Internacional pela Conservação da Natureza

Ela já é muito conhecida nacional e internacionalmente. Sonia Guajajara, das terras de Araribóia, no estado do Maranhão, luta pela proteção e pelos direitos dos povos indígenas e também, pela preservação das nossas florestas e sua biodiversidade. Coordenadora da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), tem viajado constantemente para o exterior fazendo alertas sobre as ameaças sofridas pelas etnias indígenas no país.

Já Carlos Alberto dos Santos, mais conhecido como Carlinhos, nasceu e vive na tradicional comunidade de Jangadeiros de Atalaia, parte da área protegida de Canavieiras, na Bahia. Em 2002, como então presidente da Associação de Pescadores e Frutos do Mar Atalaia, ajudou a criar o movimento Reserva Extrativista (RESEX) de Canavieiras. Com uma área protegida de 100 mil hectares, a reserva localizada na região de Abrolhos, tornou-se referência para o modelo organizacional das comunidades de RESEXs na gestão de áreas protegidas.

Como reconhecimento de seu trabalho e ativismo, Sonia e Carlinhos foram dois dos escolhidos para receber, da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN, na sigla em inglês), o Prêmio Packard, concedido a indivíduos ou grupos de indivíduos que realizaram contribuições extraordinárias no campo das áreas protegidas.

A entrega da premiação aconteceu durante o 3º Congresso de Áreas Protegidas da América Latina e do Caribe, realizado recentemente em Lima, no Peru.

“Estes são os maiores prêmios da UICN e refletem o respeito por essas pessoas excepcionais e sua contribuição para conservação de áreas protegidas na América Latina e regiões do Caribe”, destacou Kathy MacKinnon, presidente da Comissão Mundial de Áreas Protegidas.

Além dos brasileiros, Alberto Carrera Lopez, do México, e Floyd Homer, de Trinidad e Tobago, também ganharam o Prêmio Packard.

“O maior sucesso da minha vida é saber que, desde que começamos nosso trabalho, o número de RESEXs costeiras e marinhas criadas duplicou. Atualmente, no Brasil, existem 28 comunidades tradicionais e ecossistemas costeiros e marinhos protegidos”, celebrou Carlinhos.

Leia também:
Áreas protegidas: o mais importante instrumento já criado para conservar a natureza
Povos indígenas vão pressionar países europeus para que boicotem commodities produzidas em terras invadidas, diz Sonia Guajajara
No Rock in Rio, Alicia Keys recebe líder indígena Sonia Guajajara no palco, pela Amazônia
Sonia Guajajara participa de ‘Fórum sobre Questões Indígenas’ promovido pela ONU, em Nova York
Lideranças indígenas vão à Europa para denunciar o governo Bolsonaro

Fotos: reprodução internet

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta