Brasileiro “Tito e os Pássaros” é indicado ao Annie Awards, considerado o Oscar da Animação Mundial


Brasileiro “Tito e os pássaros” é indicado ao Annie Awards, considerado o Oscar da Animação Mundial

Com cores fortes e muita ação, “Tito e os Pássaros” usa pintura a óleo, desenho digital e animação gráfica para contar a história de um menino e seus amigos que precisam entender a linguagem dos pássaros para salvar o mundo de uma doença que está contaminando a todos: o medo.

Escrito e dirigido por Gustavo Steinberg, Gabriel Bitar e André Catoto Dias, o filme acaba de ser indicado ao Annie Awards, considerado um “Oscar” desse meio. A produção concorre na categoria “Melhor Animação Independente”.

“Tito é um menino tímido de 10 anos que mora com a mãe, superprotetora. Quando uma epidemia incomum começa a se espalhar, tornando as pessoas doentes sempre que ficam assustadas, o garoto descobre que a cura está, de algum modo, relacionada à pesquisa do pai, desaparecido, sobre a música dos pássaros”, resume o site da animação.

“São Paulo, minha cidade, é conhecida como a “cidade dos muros”. Vinte milhões de pessoas moram aqui, a maioria delas atrás de grades, arame farpado e cercas elétricas – é como se o medo tivesse se tornado uma epidemia, uma doença. Talvez por causa disso, a ideia do medo ser contagioso sempre me fascinou. E a violência imaginada – que pode ser baseada em fatos, mas que é muito amplificada pela mídia – contribui tanto para esta epidemia quanto a violência real”, diz Gustavo.

Segundo ele, quando o filme começou a ser rodado, em 2011 (ele levou sete anos para ser finalizado), o tema talvez não fosse tão óbvio quanto hoje em dia, mas ultimamente, por uma variável de diferentes razões, sobretudo, a desigualdade e a intolerância, o medo ficou mais real na vida das pessoas.

Já André Catoto revela que o expressionismo alemão inspirou diretamente a estética do filme, através do trabalho de artistas como George Grosz e Karl Schmidt-Rottluff , além do cinema expressionista, “que distorce o cenário e os personagens, o que me fez olhar para a maquiagem utilizada para gerar estas distorções, especialmente em torno dos olhos, que transmitem um leve desconforto, entre o cansaço e o medo. Durante a elaboração do filme, testamos muitas versões dos personagens, mas uma coisa que nós nunca mudamos foram os olhos muito redondos, porque eles são parte da história – tudo começa com eles”.

“Tito e os Pássaros” foi eleito o Melhor Longa Infantil no Anima Mundi, em 2018. A animação também já participou de diversos festivais internacionais, entre eles, o Annecy e o Toronto International Film Festival. A produção brasileira está ainda entre os 25 pré-indicados ao Oscar, na categoria Animação. Os selecionados só serão anunciados em janeiro.

No Annie Awards, o filme brasileiro concorre agora com “Ce magnifique gâteau!” (Bélgica/França/Holanda), “Mutafakaz” (França/Japão), “Mirai no Mirai” (Japão) e “Ruben Brandt, Collector” (Hungria). Os vencedores serão anunciados em 2 de fevereiro.

Imagens: divulgação

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

Deixe uma resposta