Brasileira está entre cinco finalistas de prêmio mundial para projetos de combate à pobreza

Brasileira está entre cinco finalistas de prêmio mundial para projetos de combate à pobreza

A curitibana Luísa Bonin, de 29 anos, é uma das cinco jovens inspiradoras escolhidas este ano pelo prêmio Global Citizen Prize – Cisco Youth Leadership. Ao lado de outros quatro concorrentes, ela é a única representante da América Latina. A premiação seleciona, anualmente, cinco pessoas, entre 18 e 30 anos, que trabalham em projetos para combater a pobreza global.

A brasileira é co-fundadora da plataforma Tamo Junto*, criada em 2014, que oferece a microempreendedores de baixa renda oportunidades de crescimento, através de cursos online, conteúdos, ferramentas de desenvolvimento e autoconhecimento. “Qualquer pessoa pode ter acesso a todo o conteúdo gratuitamente. Nosso objetivo é apoiar o microempreendedor brasileiro em coisas práticas que eles podem aprender para melhorar o negócio”, contou Luísa, ao Conexão Planeta.

Desde sua fundação, há cinco anos, o Tamo Junto já beneficiou mais de 30 mil usuários e conta, atualmente, com 60 mil inscritos em seu canal do YouTube. São proprietários de pequenos salões de beleza, ateliês de costura, confeitarias, lava-jatos.

“Muitos microempreendedores brasileiros iniciam o negócio por necessidade, com muito conhecimento prático, porém, a maioria tem dificuldade para se ver como empreendedor, não entende de educação financeira, formalização, como acessar microcrédito, processo de vendas”, explica Luísa. “No Tamo Junto, empoderamos esses empreendedores para se verem como empreendedores e então, se imaginarem crescendo e buscando apoio e conhecimento”.

Brasileira está entre cinco finalistas de prêmio mundial para projetos de combate à pobreza

Luísa, em meio a um dia de trabalho, na Tamo Junto

O projeto vencedor do Global Citizen Prize receberá um investimento de 250 mil dólares. O anúncio do ganhador será feito no próximo dia 13 de dezembro, durante uma grande festa, em Londres, na Inglaterra, que contará com a apresentação de cantores como Sting, Chris Martins, John Legend e Stormzy. A jovem curitibana também estará lá. “Estou nervosa, mas é muito legal e importante representar a potência dos microempreendedores brasileiros”, diz.

Caso seja a grande vencedora, Luísa revela que o dinheiro será usado para, dentre outras ações, realizar uma grande campanha de comunicação digital e off-line para alcançar mais microempreendedores; desenvolver mais conteúdos para a plataforma e o canal no YouTube, incluindo material inclusivo para pessoas com necessidades especiais – libras e áudio-descrição, além de aumentar o número de eventos físicos, promovidos em comunidades.

Formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), além da paixão pelo empreendedorismo, Luísa Bonin também é fotógrafa. É ainda voluntária da ONG de incentivo à leitura Freguesia do Livro. Ou seja, uma brasileira cheia de energia e disposição para ajudar ao próximo.

Estamos na torcida para que ela e o Tamo Junto levem o prêmio!

*A plataforma Tamo Junto foi desenvolvida dentro da organização Aliança Empreendedora, da qual Luísa Bonin foi diretora durante sete anos. A ONG, com sede em Curitiba, e filial em São Paulo, apoia empresas, organizações sociais e governos a desenvolver modelos de negócios inclusivos e projetos de apoio a microempreendedores de baixa renda, ampliando o acesso a conhecimento, redes, mercados e crédito para que desenvolvam ou iniciem seus empreendimentos.

Leia também:
A potência dos negócios de impacto criados nas periferias
Chamada de Negócios busca soluções de impacto para valorizar a biodiversidade e os povos da Amazônia

Fotos: divulgação Global Citizen Prize/ Patrícia Monteiro

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta