Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional

Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional

A tecnologia não é nova. Em 2016, Elon Musk, da Tesla, já tinha apresentado suas telhas solares. Elas foram desenvolvidas para serem mais eficientes, oferecer melhor isolamento térmico e terem o custo de instalação mais barato do que os painéis fotovoltaicos utilizados atualmente. Além disso, a ideia é que fossem esteticamente mais atraentes para os consumidores.

Mas agora, o Brasil ganha suas próprias telhas solares, com tecnologia 100% nacional. Fabricada pela Eternit, e já aprovada pelo Inmetro, órgão que atesta a qualidade de produtos no país e fornece certificação para comercialização, as telhas são feitas em concreto com células fotovoltaicas, responsáveis por captar a energia solar e transformá-la em elétrica.

“A estimativa é que a tecnologia permita entre 10% e 20% de economia no valor total da compra e da instalação das telhas fotovoltaicas, em relação aos painéis solares, montados em cima de telhados comuns”, afirma Luís Augusto Barbosa, presidente do Grupo Eternit.

Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional

Para a geração de energia, a empresa utilizou a tecnologia de silício monocristalino, que apresenta uma vida útil de mais de 20 anos.

Ainda de acordo com a fabricante brasileira, a instalação das telhas fotovoltaicas é muito semelhante àquela de um telhado comum, por isso, não requer mão de obra especializada.

“A conexão elétrica entre as telhas é feita com chicotes pré-montados que utilizam conectores macho e fêmea de fácil conexão. O tamanho (365 x 475 mm) e o peso das telhas (5,2 kg/peça) facilitam o transporte até o telhado a ser instalado”, explica Luis Antonio Lopes, responsável pela área de Desenvolvimento de Novos Negócios.

Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional

As primeiras telhas solares, fabricadas na unidade da empresa em Atibaia (SP), serão disponibilizadas para instalação de projetos-piloto, com clientes selecionados, a partir do primeiro semestre de 2020. Posteriormente, a escala de produção será ampliada para que o produto seja comercializado em todo o país. A ideia é oferecer várias opções de cores e de acabamentos.

Energia solar: mercados nacional e global

A capacidade de energia solar instalada no Brasil no ano passado totalizava 2,4 GW (gigawat) – 1,2 GW desse montante foi adicionado em 2018.

Todavia, esse número ainda é muito baixo perto do mercado global. A China, 1º lugar no ranking internacional, investiu 45 GW no mesmo período, enquanto a Índia, que aparece em segundo lugar na lista, acrescentou 10,8 GW à sua capacidade de geração fotovoltaica.

Dentro do Brasil, o que cresce é o sistema de microgeração e minigeração distribuída solar em casas, empresas, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

No começo de agosto, juntos eles atingiram a marca histórica de 1 GW de potência instalada. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), atualmente o Brasil possui 93.597 sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, somando mais de R$ 5,6 bilhões em investimentos acumulados desde 2012, distribuídos ao redor de todas as regiões do país.

*Dados Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica

Leia também:
Entra em operação a primeira usina solar flutuante do Brasil
Notre-Dame ganha projeto de reconstrução com horta e geração de energia solar no telhado
Maior empresa de locação de carros do Brasil vai usar energia solar em todas suas filiais
Energia solar é o setor que mais gerou empregos nos Estados Unidos
Trem movido a energia solar conectará Argentina, Bolívia e Peru, chegando até Machu Picchu

Fotos: divulgação Eternit Solar

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

27 comentários em “Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional

  • 4 de janeiro de 2020 em 9:48 AM
    Permalink

    100% NACIONAL, UMA OVA: Eternit AG, Suíça; 3S Swiss Sustainable Systems AG, Suíça. Telha Solar Sunslates SES Société d’Energie Solaire, Suíça: Esta telha solar da SES.

    Resposta
    • 4 de janeiro de 2020 em 8:24 PM
      Permalink

      André,
      A tecnologia foi desenvolvida no Brasil, daí afirmarmos que é 100% nacional.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
      • 7 de janeiro de 2020 em 3:50 PM
        Permalink

        mas se a propriedade é estrangeira, não é nacional. desculpa, tem algo errado nesse texto. é bom esclarecer o motivo pelo qual uma empresa brasileira pega uma tecnologia desenvolvida por cientistas brasileiros e patenteia em nome da sede estrangeira.

        Resposta
        • 7 de janeiro de 2020 em 5:04 PM
          Permalink

          Prezada Tatiana,
          A Eternit acaba de responder, através de e-mail, à dúvida de algumas pessoas: “Sobre os questionamentos dos leitores, eles devem ter confundido a Eternit do Brasil com outra empresa homônima existente na Europa. Os nomes são iguais, mas são empresas diferentes sem relação uma com a outra. A telha fotovoltaica está sendo desenvolvida e produzida pela Eternit, empresa brasileira fundada há 80 anos”.
          Abraço,
          Suzana

          Resposta
      • 13 de janeiro de 2020 em 4:23 PM
        Permalink

        Boa tarde me chamo João moro em Niterói Rio de Janeiro e gostaria de saber como fazer para participar dessa tecnologia como piloto ou seja testá-la grato e obrigado pela atenção dispensada

        Resposta
        • 13 de janeiro de 2020 em 4:54 PM
          Permalink

          Oi João,
          Para maiores detalhes, entrar em contato diretamente com a Eternit.
          Abraço,
          Suzana

          Resposta
    • 7 de janeiro de 2020 em 5:03 PM
      Permalink

      Prezado André,
      A Eternit acaba de responder, através de e-mail, ao seu comentário: “Sobre os questionamentos dos leitores, eles devem ter confundido a Eternit do Brasil com outra empresa homônima existente na Europa. Os nomes são iguais, mas são empresas diferentes sem relação uma com a outra. A telha fotovoltaica está sendo desenvolvida e produzida pela Eternit, empresa brasileira fundada há 80 anos”.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
    • 12 de janeiro de 2020 em 6:00 PM
      Permalink

      Boa tarde Suzana! Qual o peso da telha molhada e, o máximo de angulação permitido para instalação do telhado?

      Resposta
      • 12 de janeiro de 2020 em 8:10 PM
        Permalink

        Oi Izidoro,
        Estes tipos de detalhe o melhor é você perguntar diretamente à Eternit.
        Abraço,
        Suzana

        Resposta
  • 4 de janeiro de 2020 em 9:27 PM
    Permalink

    Pena que o Brasil não é um país sério. Com a taxação da ANEEL, a instalação desses sistemas vai diminuir muito. Eu, por exemplo, iria instalar, mas por enquanto desisti. Essa taxação, para mim, é um desaforo…

    Resposta
    • 8 de janeiro de 2020 em 10:39 PM
      Permalink

      Salve Cristofer, pode ficar tranquilo. Caiu essa taxação da ANEEL. O próprio presidente brecou o processo pois não tem cabimento taxar o sol. Até acho que esses monopólios vão tentar a todo custo criar alguma forma de o governo intervir pois a energia solar só beneficia os usuários apenas!
      Forte abraço.

      Resposta
  • 5 de janeiro de 2020 em 9:46 AM
    Permalink

    Bom dia pessoal da Eternit,
    Também sou fabricante de energia e sou Eng. De Produção e Bioenergético, no Brasil as pessoas não aceitam que Fabricamos aqui e seja nacional, até o BNDES diz que nossos produtos são nacionalizados. Mas geramos empregos aqui e nossos produtos acabam ficando com preço maior devido o custo Brasil. Melhor vocês se acostumarem a chamar de produto nacionalizado. Isso se dá porque quem gera à energia realmente são as células e o Brasil ainda não tem fabricante de células e vidros, mas já já teremos.
    Um abraço a todos e parabéns pela
    Coragem de fabricar telhas solares no Brasil.

    Abdias Edurado

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2020 em 4:24 PM
      Permalink

      Olá Eduardo
      Tenho uma dúvida e você parece entender do assunto.
      Como funciona essa tecnologia? A energia é gerada somente quando há sol? Por exemplo, em dias nublados ou a noite não há geração de energia? Se for esse o caso a energia gerada com o sol fica armazenada de alguma forma?
      Desde já agradeço.

      Resposta
  • 5 de janeiro de 2020 em 1:09 PM
    Permalink

    Que matéria interessante. Sempre quis ter um espaço assim pra escrever sobre artigos sustentáveis.

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2020 em 5:33 PM
      Permalink

      Como faço para participar moro em Barra de São João gostaria muito !!!

      Resposta
      • 14 de janeiro de 2020 em 4:08 PM
        Permalink

        Aroldo,
        É preciso entrar em contato diretamente com a Eternit.
        Abraço,
        Suzana

        Resposta
  • 6 de janeiro de 2020 em 1:32 AM
    Permalink

    Onde pesquiso o valor delas?e onde comprar?

    Resposta
    • 6 de janeiro de 2020 em 1:59 PM
      Permalink

      Daniella,
      Como o texto diz, “As primeiras telhas solares, fabricadas na unidade da empresa em Atibaia (SP), serão disponibilizadas para instalação de projetos-piloto, com clientes selecionados, a partir do primeiro semestre de 2020. Posteriormente, a escala de produção será ampliada para que o produto seja comercializado em todo o país”.
      Se você deseja mais informações, sugiro entrar em contato diretamente com a fabricante.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 7 de janeiro de 2020 em 6:44 PM
    Permalink

    Também achei a matéria interessante, Suzana! O que me preocupa é o preço final ao consumidor e o peso da peça, superior a 5 quilos. Seu peso é mais que o dobro da telha colonial. Fora isso, achei a telha bonita, tem, opções de cores variadas, parece excelente o acabamento, enfim, creio que será (a depender do preço de comercialização) uma excelente opção surgindo no mercado brasileiro.

    Resposta
    • 9 de janeiro de 2020 em 3:14 AM
      Permalink

      José Nascimento de Souza, uma telha de concreto normal pesa entre 3,8kg a 4,5kg.

      Resposta
    • 20 de janeiro de 2020 em 1:02 PM
      Permalink

      Eu tb estou preocupado pelo peso da telha pois uma placa fotovoltaica pesa 27 kg e tem um diâmetro de 2 m2 é uma telha tem um diâmetro de 173 cm ou seja para completar uma placa o peso das telhas seria aproximadamente de 60 kg

      Resposta
  • 9 de janeiro de 2020 em 5:22 AM
    Permalink

    Qual o contato do fabricante?

    Resposta
    • 9 de janeiro de 2020 em 4:35 PM
      Permalink

      Veronilson,
      O link do site da fabricante está indicado no nome da empresa na reportagem. Basta clicar lá.
      Abraço,
      Suzana

      Resposta
  • 9 de janeiro de 2020 em 7:03 PM
    Permalink

    Olá Suzana, parabéns pelo esclarecimento, precisamos sim desta energia limpa, e sem a taxação da ANEEL o consumidor fica mais a vontade para instalar seus painéis solares ou estas telhas, que achei bem mais interessante.

    Resposta
  • 13 de janeiro de 2020 em 9:55 PM
    Permalink

    entrei no site e nao vi nada relativo a telha fotovoltaica

    Resposta
  • 15 de janeiro de 2020 em 2:14 PM
    Permalink

    Suzana, obrigado pela matéria e parabéns pela tua paciência com esses entes que, não dispuseram uma crítica saudável mas, ornejaram bastante com muita falta de educação, abraço.

    Resposta

Deixe uma resposta