Bill Gates lança fundo de 1 bilhão de dólares para investir em energias renováveis

Bill Gates cria fundo de 1 bilhão de dólares para investir em energias renováveis

Segundo maior poluidor do mundo (em emissão de dióxido de carbono), ficando somente atrás da China, os Estados Unidos tentaram nos últimos anos sair desta lamentável posição. Sob o comando de Barack Obama, diversos projetos de lei foram aprovados para que usinas de carvão e óleo fossem fechadas e o investimento em energias renováveis fosse priorizado.

Todavia, desde que Donald Trump ganhou as eleições, há uma expectativa de que todos os avanços conquistados até então vão por água abaixo. O presidente eleito é claramente um cético do clima, ou seja, não acredita que as mudanças climáticas sejam causadas pelas atividades humanas no planeta. E suas indicações de nomes para cargos importantes no setor ambiental e de energia são prova disso.

Convencidos de que não podem ficar parados diante da possibilidade de que Trump volte a investir em energias sujas e poluidoras, empresários do mundo inteiro anunciaram a entrada em operação de um fundo bilionário que financiará companhias que trabalhem no setor de energias renováveis (solar, eólica, biomassa, hidrogênio, entre outras) e, sobretudo, que desenvolvam soluções para reduzir o custo destas fontes limpas e sustentáveis, tornando-as assim mais acessíveis e de emprego em larga escala.

A iniciativa do Breakthrough Energy Ventures é do fundador da Microsoft, Bill Gates, e tem a adesão de outros investidores peso-pesados como Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova York e presidente da fundação que leva seu nome, Richard Branson, da Virgin Group, o magnata George Soros e Mark Zuckerberg e sua esposa Priscilla Chan, do Facebook.

No final do ano passado, como mostramos aqui neste outro post, Gates já tinha anunciado a criação da coalizão Breakthroug Energy, durante a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP21), em Paris. Nos últimos anos, entretanto, novos parceiros aderiram ao projeto e o valor inicial do investimento foi reduzido.

O fundo de 1 bilhão de dólares, que começará a operar já nos próximos meses, conta ainda com financiadores milionários da China, Índia, Alemanha, França e Arábia Saudita. Segundo comunicado oficial de Gates, ele deve injetar recursos no setor de energia limpa por 15 ou 20 anos.

O objetivo é que este dinheiro seja usado por empresas no desenvolvimento de estudos para a geração, transporte, estocagem, aplicação industrial e eficiência energética das fontes renováveis.

O estilo de vida da sociedade moderna está todo baseado em energia. A usamos para cozinhar, trabalhar, mover nossos carros, aquecer e refrigerar casas. Mas há ainda, milhões de pessoas, vivendo em países pobres, que não têm acesso à nada disso, porque não possuem eletricidade em casa.

Fontes limpas de energia, como a solar e eólica, podem garantir a redução da desigualdade social no mundo e diminuir também as emissões de gases de efeito estufa, que provocam o aquecimento global.

A expectativa dos investidores do Breakthrough Energy Ventures é que o fundo traga um enorme retorno no futuro. Eles acreditam que o mercado dos renováveis deva movimentar algo em torno de 6 trilhões de dólares nas próximas décadas.

Ao lado da mulher, Melinda, Bill Gates também tem uma fundação, que financia projetos ao redor do planeta com foco em educação, saneamento básico, saúde e empoderamento das mulheres.

Foto: reprodução Facebook Bill Gates

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta