Belo Horizonte tem dia com maior volume de chuva do século: já são dezenas de mortos e milhares de desabrigados em MG e no ES

Belo Horizonte tem dia com maior volume de chuva do século: já são dezenas de mortos e milhares de desabrigados em MG e no ES

*Atualizado em 31/01/20

A chegada do verão traz problemas conhecidos por grande parte dos brasileiros: muita chuva, tempestades fortes e o risco de alagamentos, inundações e deslizamentos de terra.

Todavia, nas últimas semanas, os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo têm sido castigados por um volume de água acima do normal.

Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da capital, desde o início da medição climatológica há 110 anos. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, em apenas 24 horas, entre quinta e sexta-feira, o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros.

Outra cidade mineira bastante afetada foi Betim. Encostas de morros desabaram, soterrando casas. Até o sábado, já havia sido confirmada a morte de seis pessoas.

No estado todo, a Defesa Civil informou que o número de vítimas fatais chega a 56. Mas ainda há muitos desaparecidos. A tragédia deixou também mais de 30 mil desabrigados.

No domingo, o governo de Minas Gerais decretou emergência em 47 municípios. Três dias depois, já são mais de 100 cidades nessa situação.

Belo Horizonte tem dia com maior volume de chuva do século: já são dezenas de mortos e milhares de desabrigados em MG e no ES

Equipe da Defesa Civil trabalha em área de deslizamento

No Espírito Santo, o cenário é ainda mais alarmante. Quase 9 mil pessoas tiveram que abandonar suas casas por causa da chuva. Dezoito municípios estão em alerta máximo para alagamentos e deslizamentos de terra. Dez pessoas morreram no estado.

Em Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta e Rio Novo do Sul foi decretado estado de calamidade pública.

Belo Horizonte tem dia com maior volume de chuva do século: já são dezenas de mortos e milhares de desabrigados em MG e no ES

Voluntários participam de mutirão para limpar
as ruas do município capixaba de Iconha

O que nenhum governante falou ainda é sobre qual investimento está sendo feito para que isso não ocorra, novamente, nos próximos verões, e mais pessoas percam suas vidas. Como exatamente as cidades brasileiras estão se preparando para enfrentar as mudanças no clima do planeta.

Há anos, cientistas do clima têm feito o alerta que, ano a ano, os extremos climáticos (secas, incêndios, furacões e tempestades) se tornarão mais fortes e frequentes, exatamente como aconteceu com os incêndios florestais na Austrália (leia mais aqui) e pode ser visto no volume atípico de chuvas que atingiu as cidades da região sudeste do Brasil.

Ajuda aos desabrigados pela chuva

Para quem quer ajudar as vítimas da chuva em Minas Gerais, a Defesa Civil, a organização Servas e a Cruz Vermelha estão promovendo campanhas para arrecadar donativos. O que mais se precisa no momento é alimentos não perecíveis, água mineral, fraldas, colchões, cobertores e artigos de limpeza e higiene pessoal.

As doações podem ser feitas nos seguintes endereços em Belo Horizonte:

Cruz Vermelha: ponto de apoio na Avenida Úrsula Paulino, 1555, Bairro Betânia ou na sede na Alameda Ezequiel Dias, 427, Centro

Servas: Avenida Cristóvão Colombo, 683, Funcionários

Em Betim, a Defesa Civil está recolhendo as doações, em sua sede, na rua Antônio Augusto de Rezende, 229, no Centro.

Já em Vitória, no Espírito Santo, a ajuda pode ser feita nos locais abaixo:

Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales)
Avenida Américo Buaiz, 205, Enseada do Suá

Shopping Vitória
Avenida Américo Buaiz, Enseada do Suá

Câmara Municipal de Vitória
Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, 1788, Bento Ferreira

Em Iconha, um dos municípios mais atingidos do Espírito Santo, as doações podem ser entregues na Paróquia de Iconha, no Morro Paraíso, ou através do Fundo Solidário: Banco Banestes, agência 149, Conta Poupança 22.196.109 (todo dinheiro arrecadado será destinado às vítimas cadastradas).

*Texto alterado para atualização do número de mortes e desabrigados

Leia também:
Planeta teve a década mais quente da história e 2019 foi segundo ano com mais altas temperaturas
Desastres climáticos estão entre cinco maiores preocupações para a próxima década em relatório do Fórum Econômico Mundial
Qual o impacto da crise climática sobre os incêndios da Austrália?
Estimativas apontam que 480 milhões de animais morreram nos incêndios da Austrália

Fotos: reprodução vídeo TV Globo (abertura), reprodução Facebook Corpo de Bombeiros do Espírito Santo e Hélio Filho/Secom/Fotos Públicas (mutirão em Iconha)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta