Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

Depois do caos enfrentado por moradores de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo nas últimas semanas devido a fortes chuvas e inundações, muito se tem debatido sobre quais são as melhores soluções como resposta a esse tipo de situação, que infelizmente, com o agravamento da crise climática, parece que se tornará cada vez mais frequente. Mas solução e tecnologia já existem. E um exemplo inovador vem de Bangkok.

A capital e maior cidade da Tailândia já foi conhecida no passado como “Veneza do Oriente”. Há muito tempo, Bangkok era cortada por diversos canais, que levavam a água do rio Chao Phraya.

Com a urbanização desenfreada e a falta de planejamento, assim como outras grandes metrópoles, decidiu-se canalizar o rio e nas últimas décadas, com o clima quente e úmido, o resultado disso é que seus 20 milhões de habitantes têm sido impactados por enchentes frequentes.  

Construída sobre a lama movediça do rio, especialistas afirmam que Bangkok está afundando a uma taxa de mais de 1 centímetro por ano e pode estar abaixo do nível do mar em 2030.

Mas graças ao projeto da renomada arquiteta Kotchakorn Voraakhom, menos água da chuva chegará ao solo nos próximos anos. Com 22 mil metros quadrados, foi construída uma fazenda urbana na Universidade de Thammasat.

Desenhada na forma da letra “H”, ela possui uma elevação que se assemelha a uma grande montanha, com um enorme espaço verde de jardim cobrindo a parte superior. O projeto foi inspirado nas tradicionais plantações de arroz asiáticas.

Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

Além de oferecer um novo espaço verde para os moradores de Bangkok, a fazenda tem cultivo de alimentos orgânicos, sistema de gerenciamento de água, geração de energia limpa (com painéis solares) e é uma sala de aula ao ar livre.

Voraakhom projetou os terraços em forma de cascata para que a chuva que escorre pelos mesmos seja utilizada para o plantio de arroz, junto com ervas e outras espécies nativas. Estima-se que será possível produzir ali, por ano, arroz suficiente para 100 mil refeições a serem servidas no campus de Thammasat. Quaisquer restos de comida dos pratos e da cozinha serão compostados e enviados de volta ao telhado para fertilizar a próxima safra de arroz.

O sistema permite ainda que 11 milhões de litros de água sejam armazenados em lagoas de detenção para serem usados posteriormente para irrigação.

Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

A fazenda urbana tem ainda as mesmas funções de um telhado verde: ajudar a melhorar a qualidade do ar da cidade, reduzir sua temperatura – o chamado ‘efeito ilha de calor’ -, e absorver a água da chuva, além de restaurar a biodiversidade local, ao trazer de volta aves e insetos polinizadores.

O plantio de alimentos orgânicos é proposital. Voraakhom acredita que é uma maneira de mostrar que há alternativas à agricultura industrial. A Tailândia está entre os maiores consumidores do mundo de pesticidas (assim como o Brasil…)

Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

Este não é o primeiro projeto sustentável de Kotchakorn Voraakhom na capital tailandesa (a arquiteta apareceu na lista das 100 pessoas mais proeminentes de 2019 da revista Time). Em 2017, ergueu um parque gigantesco, no campus da Universidade de Chulalongkorn, bem no meio da cidade. Ele é um oásis verde para a população, com enormes gramados para lazer, playgrounds, anfiteatro e até um pequeno museu.  

Os projetos de Bangkok são um belíssimo exemplo que servem como modelo de adaptação aos impactos climáticos que se abatem sobre centros urbanos do mundo inteiro. Já imaginou algo semelhante sobre a marginal do rio Tietê, em São Paulo?

Confira abaixo outras imagens desse projeto bacanérrimo, que demonstra como já há tecnologia e engenharia disponíveis para que outros similares sejam implementados em mais cidades.

Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes
Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes
Bangkok ganha a maior fazenda urbana da Ásia: além de produzir alimentos, ela vai conter a água da chuva e enchentes

Leia também:
Enchentes em São Paulo: soterrados e invisíveis, rios da cidade continuam vivos e mostram sua força
Belo Horizonte tem dia com maior volume de chuva do século: já são dezenas de mortos e milhares de desabrigados em MG e no ES
Japoneses anunciam construção da “cidade do futuro”, totalmente sustentável
Paris ganhará a maior fazenda urbana (e suspensa) do mundo em 2020

Fotos e imagens: divulgação Kotchakorn Voraakhom/LANDPROCESS

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta