Baleia gigante, enroscada em plástico, é atração em desfile de carnaval

baleia

Não foi só no Brasil que a folia e a alegria do Carnaval tomaram conta das ruas. Em diversas cidades do mundo, foliões vestiram suas fantasias e assistiram a desfiles. A Itália é um dos países mais tradicionais para essa festividade. Veneza é célebre pelos bailes de máscaras.

Mas este ano, assim como em nosso país, o Carnaval serviu também de oportunidade para as pessoas se manifestarem sobre os problemas sociais, econômicos e… ambientais.

Foi o que aconteceu em Viareggio, uma cidade costeira, próximo a Pisa. A festa realizada ali, desde 1873, é considerada uma das mais famosas da Itália e da Europa.

Baleia sufocada por plástico: alerta ambiental

Um carro alegórico com uma baleia de 20 metros, enroscada em plástico, foi uma das principais atrações do desfile do Carnevale di Viareggio 2019. A obra, chamada de “Maré Alta”, foi feita pelo artista plástico Roberto Vannucci.

A escultura gigantesca retrata uma baleia morrendo sufocada pelo lixo plástico. “O mar e suas criaturas estão realmente pagando o preço mais alto por essa contaminação que, dia após dia, assume proporções cada vez mais alarmantes”, diz a equipe do Greenpeace da Itália, parceira no projeto.

O Greenpeace realizou ainda uma limpeza nas praias da região, ação que fez parte da campanha “O mar não é descartável”.

Ação do Greenpeace durante o Carnavale de Viareggio

O impacto do plástico sobre a vida marinha está fora de controle. No ano passado, por mais de uma vez, baleias foram encontradas mortas com plástico no organismo. Em novembro, uma cachalote foi achada sem vida na Indonésia. Ela tinha sacolas, sandálias e mais de 100 copos plásticos no estômago. 

Alguns meses antes, outra baleia da mesma espécie, foi descoberta
na Espanha com 29 kg de plástico no estômago também. 

Homenagem às mulheres

Este ano, o Carnaval de Viareggio dedicou a festa às mulheres. Os carros alegóricos homenagearam diversos ícones do universo feminino, entre eles, a pintora mexicana Frida Kahlo e a ativista italiana pelo direitos das mulheres Emma Bonino.

Assim como nos desfiles das escolas de samba no Rio e em São Paulo, que levaram para a avenida questões importantes da realidade social e econômica brasileira e denunciaram a discriminação e o descaso com as minorias, os italianos também sabem usar uma de suas mais tradicionais festas populares para falar de temas sérios, mas de maneira lúdica e bem humorada.

Fotos: Francesco Alesi/ Greenpeace e divulgação Carnevale di Viareggio 2019

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta