Austrália abate 10 mil camelos porque animais ameaçam água e comida de áreas rurais

Austrália vai abater 10 mil camelos porque animais  ameaçam reservas de água da população

Os camelos não são nativos da Austrália e lá não têm predadores naturais. Esses animais foram levados para aquele continente em meados do século XIX para ajudar na exploração do território. Atualmente estima-se que a população de camelos selvagens no país seja de 1 milhão de indivíduos, uma das maiores do mundo.

Por causa dos incêndios florestais que estão devastando a vegetação australiana, camelos estão ficando sem alimentos e água e em busca deles, invadindo pequenas comunidades rurais e colocando a vida de pessoas em risco.

Para evitar que uma tragédia ainda maior aconteça, além daquela já causada pelo fogo, autoridades do sul da Austrália anunciaram que irão sacrificar cerca de 10 mil camelos na região do território aborígene de Anangu Pitjantjatjara Yankunytjatjara, onde vivem cerca de 2,3 mil indígenas.

“Estamos presos dentro de casa, em condições quentíssimas e desconfortáveis, nos sentindo mal, porque os camelos estão derrubando cercas, entrando nas casas e tentando pegar água nos aparelhos de ar condicionado”, contou Marita Baker, moradora da área, ao jornal The Australian.

O abate será feito através de uma operação aérea. Os camelos e outros animais selvagens (espécies invasoras) serão mortos por atiradores profissionais em helicópteros.

Esta não é a primeira vez que uma medida drástica é tomada para controlar a população de camelos na Austrália. Segundo a BBC, entre 2009 e 2015, aproximadamente 160 mil desses animais foram abatidos.

Leia também:
Cientistas previram agravamento dos incêndios florestais na Austrália, há 13 anos
Qual o impacto da crise climática sobre os incêndios da Austrália?
Celebridades e internautas doam mais de 25 milhões de dólares para ajudar combate aos incêndios na Austrália
Astros de Hollywood erguem a voz contra a crise climática e exigem mais ações
Estimativas apontam que 480 milhões de animais morreram nos incêndios da Austrália
Austrália: quatro meses de incêndios, devastação e mortes

Foto: Shek Graham/Creative Commons/Flickr

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta