Ativismo quântico, Amazônia e outras causas

ativismo ambiental

Recentemente, dei uma palestra com o PhD em física quântica, o indiano Amit Goswami no Believe.Talks, uma iniciativa do Believe.Earth, um maravilhoso site que se propõe a divulgar apenas notícias positivas, lançado por Gisele Bündchen durante a abertura do Rock in Rio, este ano.

Amit usou um termo que me chamou atenção: “ativismo quântico”. Com suas afirmações, me levou de volta – e reforçou – um ponto sobre o qual já escrevi algumas vezes: o ativismo ambiental precisa mudar e se reinventar, se quiser realmente atuar para promover uma nova visão de mundo e mudança de atitudes.

Não adianta mais guerrear sem explicar para as pessoas o porquê e de forma que toque o coração delas. Não adianta mais fazer ativismo e ignorar o fator “inspiração”, fazer ativismo sem se preocupar em inspirar.

Não adianta fazer ativismo sem acreditar no ativismo que está fazendo. Conheço vários ativistas, de ONGs grandes e influentes, inclusive, que já chegaram a comentar comigo: “é, estamos nessa campanha, mas não vai adiantar nada porque eles (os oponentes) estão muito bem organizados. Já era, perdemos essa guerra, mas vamos em frente”.

O que vai acontecer? Vão realmente perder a guerra. Por que? Pela física quântica:

Pensamento gera imagem
Imagem gera emoção
Emoção libera energia para a materialização.

Se o próprio ativista usa o poder do pensamento para desacreditar da própria causa, nem Jesus Cristo, nem Buda, nem Deus vão poder fazer acontecer o contrário. Porque as leis do universo respeitam a mente e as emoções.

Logo, o ativista que pensa assim dá um tiro no próprio pé e age de maneira quântica, movimenta as energias do universo contra a própria causa aue defende..

O Reconexão Amazônia tem a missão de despertar afeto pela floresta. Todo mundo que está de certa forma envolvido nesse projeto junto comigo precisa se trabalhar internamente para aumentar o otimismo, para conseguir visualizar de verdade o que queremos.

Temos que vislumbrar a floresta protegida, cada vez mais pessoas falando da Amazônia de maneira positiva, cada vez mais pessoas indo até lá e mudando hábitos conscientemente com a intenção de proteger a floresta. Temos que nos ver sendo ouvidos, compreendidos, temos que visualizar a rede deste movimento se expandindo. Fazendo isso, tenho certeza que construiremos o futuro que queremos, enquanto movimento, para proteger a floresta.

*
Agradeço se, neste momento do texto, você pausar para imaginar a floresta sendo protegida, as pessoas falando dela de maneira alegre e leve. Te convidamos a co-criar esta realidade com a gente!
*

O ativismo quântico defendido por Amit começa dentro da gente. Com a gente se trabalhando para desenvolver mais otimismo. Para acreditar que o que fazemos trará de fato resultados positivo.

A todos nós, que nos mexemos pelas causas do mundo, desejo consciência e força para comandarmos nossos pensamentos para que sejam propulsores das causas que defendemos.
Fazemos isso no Reconexão Amazônia. Não é mole não, mas é possível.

Um forte abraço para você.

Fofo: unsplash

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Karina Miotto

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Deixe uma resposta