Arquitetos apostam em jardim vertical para reduzir barulho e poluição na construção civil

arquitetos-apostam-jardim-vertical-reduzir-barulho-poluicao-construcao-conexao-planeta

Não tem como negar que a construção ou reforma de imóveis é uma dor de cabeça em qualquer lugar do mundo. Há barulho, poeira, congestionamento no trânsito e muitos outros inconvenientes para vizinhos, comerciantes e demais moradores do bairro onde acontece a obra.

Pois um escritório de arquitetura de Londres, na Inglaterra, está fazendo um teste inovador. Em vez de colocar na frente da obra o tradicional tapume de madeira, a Arup instalou uma parede verde, ou melhor, um jardim vertical feito com grama, flores e mudas de morango. O objetivo dos arquitetos é reduzir o impacto da poluição sonora e do ar da construção.

arquitetos-apostam-jardim-vertical-reduzir-barulho-poluicao-3-construcao-conexao-planeta

Chamada de Living Wall Lite, a parede tem 80 m2. Para analisar o real impacto da técnica utilizada, foram instalados sensores no local para checar o nível dos ruídos da obra, a qualidade do ar na rua e a influência sobre a temperatura. A empresa acredita que a parede verde poderá bloquear em até 20% o barulho gerado, algo em torno de 10 Arquitetos apostam em jardim vertical para reduzir barulho e poluição na construção civildecibéis.

No Brasil, por exemplo, a Lei do Silêncio prevê que “os níveis de pressão sonora provocados por máquinas e aparelhos utilizados nos serviços de construção civil não poderão exceder o limite máximo de 60 decibéis até as 22h e 55 após este horário”.

A parede verde faz parte de uma série de ações da Arup para diminuir suas emissões de dióxido de carbono, o CO2, gás considerado o principal responsável pelo aquecimento global. Atualmente a construção civil consome 1/3 da energia gasta no planeta e gera 1/3 das emissões globais de gás carbônico.

A empresa de arquitetura inglesa faz parte da iniciativa internacional 100 Resilient Cities, mantida pela Rockefeller Foundation e que reúne cidades preocupadas em adotar estratégias para se adaptar aos desafios do século 21, principalmente aqueles causados pelas mudanças climáticas.

O prédio St. Marks, que está sendo restaurado, fica num dos bairros mais elegantes de Londres, o Mayfair. Outro benefício do jardim vertical é estético: não há dúvida de que a parede verde, cheia de plantas, é muito mais bonita e agradável do que um tapume ou andaime.


Leia também:
“Políticas públicas sérias para as mudanças climáticas precisam focar a construção civil”
Escolas verdes: alunos mais saudáveis e notas melhores
Que tal usar o telhado do vizinho para investir em energia solar?

Fotos: divulgação Arup

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Deixe uma resposta