Amazona holandesa desiste de prova nos Jogos Olímpicos por amor a seu cavalo

amazona holandesa acaricia cavalo

Adelinde Cornelissen já é uma campeã olímpica. A amazona holandesa ganhou medalha de prata em sua apresentação individual nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e uma de bronze juntamente com a equipe de seu país. Ao lado de seu cavalo Jerich Parzival, a atleta possui ainda dois títulos mundiais.

Se ela é uma vencedora da equitação, isso não há dúvida. Mas na semana passada, Adelinde emocionou a todos com seu lindo gesto em favor de Parzival. A holandesa simplesmente desistiu de sua apresentação da competição de hipismo, no Rio de Janeiro, para poupar a saúde do animal.

Em relato na sua página no Facebook, Adelinde contou o que aconteceu. Na manhã de 10/08, a hipista reparou que a cabeça de Parzival estava inchada, pois o cavalo deveria tê-la batido muitas vezes contra as paredes do estábulo. Isso significava que algo estava errado. Tirada a temperatura, a comprovação: ele estava com mais de 40º graus de febre. Veterinários examinaram o animal e descobriram que ele provavelmente tinha sido picado por um inseto ou aranha.

Parzival foi então medicado e hidratado para que a toxina pudesse ser liberada de seu corpo. O cavalo apresentou melhora, mas a delegação holandesa de equitação solicitou à Federação Internacional de Hipismo o adiamento da prova que Parzival participaria. O pedido foi negado.

Adelinde passou a noite no estábulo ao lado de seu companheiro dos últimos 19 anos. Ficou preocupada com sua saúde. A atleta mal conseguiu dormir. No dia anterior, a holandesa tinha decidido que não iria competir. Mas Parzival acordou sem febre e o inchaço quase desapareceu. “Fomos então para a arena para o treino, demos algumas voltas e ele parece feliz e bem. Ao voltar para o estábulo, novamente precisei me deparar com decisões difíceis. O que fazer? Parzival está bem, mas sei o que aconteceu ontem … Não haveria ninguém para me substituir na equipe”, contou ela no Facebook.

Depois do check up oficial pelos veterinários da federação, o cavalo foi liberado para competir na prova. Adelinde então entrou na arena da Rio 2016. “Durante o aquecimento, peguei leve com ele. Não queria sobrecarregá-lo. Ele estava ok, mas não o senti em sua plena forma. Algo normal, por causa da febre no dia anterior”.

Na sequência, vem então a parte mais linda e emocionante do relato da atleta olímpica: “Quando entrei na arena, senti que ele estava dando o seu melhor e sendo o lutador que é, ele nunca desiste… Mas para protegê-lo, eu desisti… Meu parceiro, meu amigo, o cavalo que durante toda sua vida me deu tudo, não merece isso. Então, eu cumprimentei os juízes e os espectadores e deixei a arena… #doiscorações”.

Depois de receber muitas mensagens pelas redes sociais, Adelinde escreveu um novo post, três dias depois, dizendo que “Parzi”, apelido do cavalo, está novamente bem. Abaixo, a foto dos dois.

amazona

 

Fotos: reprodução Facebook Adelinde Cornelissen

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta