Alimentos “feios” dão oportunidades a pessoas necessitadas na Espanha

mao-batata-forma-coração

Já deixou de comprar uma batata, cenoura ou abóbora porque tinha uma forma estranha? Você não é o único. Milhões de frutas e legumes são jogados no lixo em todo o mundo por razões estéticas. Mas e se alimentos “feios”, mas em boas condições de consumo, pudessem dar oportunidades a pessoas e vice-versa? Esse é o mote de um projeto em Barcelona, na Espanha, chamado Espigoladors – ele impede o desperdício de alimentos e, de quebra, ajuda pessoas em situação vulnerável.

O nome do projeto deriva da palavra catalã “espigolar”, que significa recolher restos esquecidos na colheita. O conceito é simples: um grupo de voluntários vai ao campo e aos supermercados recolher alimentos de boa qualidade, mas rejeitados por serem considerados feios, e os distribui para desempregados e pessoas necessitadas. “Nenhuma comida em boas condições deveria ser desperdiçada”, afirma Mireia Barba, fundadora do projeto.

voluntarios-espigoladors-recolhem-alimentos

Tudo começou quando um professor da escola onde a filha de Mireia estuda comentou sobre a necessidade de sensibilizar as crianças para evitarem o desperdício de merenda escolar. Ao pesquisar sobre o assunto, ela descobriu que, em 2010, mais de 262 toneladas de alimentos foram desperdiçados na Catalunha, quantidade que poderia alimentar mais de 500 mil pessoas num ano. Deste montante, 58% é jogado fora nos lares. Ou seja, cada habitante desperdiça quase 35 kg de comida, que poderia ser aproveitada por 25 dias. Além disso, a Espanha é o sexto país da União Europeia que mais desperdiça alimentos, enquanto entre três e quatro milhões de pessoas passam fome: são 7,7 milhões de toneladas de comida jogadas fora ao ano.

Foi então que o Espigoladors foi colocado em prática. Mireia conta que o projeto tem quatro objetivos principais: recuperar frutas e legumes que seriam desperdiçados; criar oportunidades para pessoas em risco de exclusão social; educar e sensibilizar para a importância de ter uma dieta saudável; e fornecer alimentos saudáveis e saborosos a pessoas que não têm acesso.

Em prática há um ano, já apresenta bons resultados. Mais de 81 mil quilos de boa comida que seriam jogados no lixo alimentaram pessoas necessitadas. O próximo passo do projeto é criar empregos. A ideia de Mireia é transformar os produtos em caldos, sopas, compotas e outros quitutes para, em seguida, vendê-los por meio da marca Im-perfect, também do projeto.

espigoladors-como-projeto-funciona

Evite o desperdício de alimentos em casa

Quer começar a colocar em prática os ideias do Espigoladors? Mireia dá quatro dicas simples para o cidadão evitar o desperdício de comida:

  • planejar suas refeições com antecedência;
  • fazer listas de compras;
  • otimizar o uso da geladeira o máximo possível; e
  • não se deslumbrar com ofertas que nos fazem comprar mais do que precisamos.

Vamos nessa?

Fotos: Divulgação

Marina Maciel

Jornalista, Marina escreve sobre meio ambiente para diversas publicações brasileiras desde 2011. Já colaborou para veículos como Superinteressante, Exame, VEJA, VEJA SP, M de Mulher, Casa Claudia, VIP, Cosmopolitan Brasil, Brasil Post, National Geographic Brasil, INFO e Planeta Sustentável.

9 comentários em “Alimentos “feios” dão oportunidades a pessoas necessitadas na Espanha

Deixe uma resposta