Aeroporto de São Francisco bane garrafas plásticas

Aeroporto de São Francisco bane garrafas plásticas

A partir  do próximo dia 20 de agosto, lojas, bares, restaurantes e lounges de companhias aéreas estão proibidos de vender ou distribuidor garrafas de águas plásticas descartáveis para os passageiros e funcionários do Aeroporto Internacional de São Francisco (SFO), nos Estados Unidos.

As pessoas poderão trazer suas garrafas próprias de casa e enchê-las com água nos mais de 100 bebedouros e fontes instalados em todos os terminais do aeroporto. Nas lojas, serão vendidas também garrafas de alumínio, vidro e similares, produzidas a partir de materiais biodegradáveis.

A proibição das garrafas plásticas faz parte de uma estratégia maior, o Zero Waste SFO, plano lançado no ano passado, que pretende reduzir ao máximo o lixo gerado pelas concessionárias de serviços no aeroporto. Anualmente, quase 14 mil toneladas de resíduos são produzidas no aeroporto e levadas para aterros sanitários.

A medida anunciada este fim de semana nas redes sociais pretende, até 2021, tornar o aeroporto da Califórnia o primeiro do mundo a ser ‘Lixo Zero’.

Segundo a organização Zero Waste Alliance, ser ‘Lixo Zero’ é reduzir, pelo menos 90% dos resíduos enviados para aterros e incineradores, usando métodos como reciclagem e compostagem.

Estão incluídos ainda na estratégia do plano do aeroporto servir todos os alimentos e bebidas em embalagens reutilizáveis ou biodegradáveis (talheres, copos, recipientes para viagem, etc.), sem adição de produtos químicos fluorados, e fornecer canudos de papel ou biodegradáveis apenas se solicitado pelo cliente.

São Francisco: uma cidade amiga do meio ambiente

A iniciativa do aeroporto vai de encontro a um programa lançado pela prefeitura de São Francisco. Desde o início de julho, copos, canudos, talheres e outros objetos descartáveis serão apenas distribuídos em bares, cafés e restaurantes, caso os consumidores os peçam. Não ficarão mais expostos em bancadas como antigamente.

Por ano, estima-se que sejam utilizados na cidade 1 milhão de canudos plásticos e 300 milhões de copos.

Aeroporto de São Francisco bane garrafas plásticas

Cartaz da campanha da prefeitura de São Francisco

Em 2016, São Francisco já havia proibido o uso de embalagens e produtos feitos com poliestireno, o isopor, que leva centenas de anos para se decompor na natureza e ainda libera substâncias químicas no solo.

O estado da Califórnia é um dos mais ativos na proteção ambiental. Desde 2007, a distribuição de quentinhas de poliestireno, as embalagens para levar comida para casa, já era proibida.

Em 2014, foi a vez então de dar fim à venda de garrafas plásticas em espaços públicos da cidade. Em abril de 2016, mostramos aqui, no Conexão Planeta, em janeiro de 2017 também, todos os novos edifícios de São Francisco seriam obrigados a ter painéis solares.

Leia também:
Bactéria que come plástico PET pode ser solução contra poluição? 
Transformar plástico em energia: solução para acabar com o lixo nos oceanos?
Vídeo da Nasa revela ilhas de lixo no planeta
Estados Unidos proíbem uso de micropartículas plásticas em cosméticos
Lixo plástico ameaça 99% das aves marinhas

Fotos: divulgação San Francisco International Airport

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta