Abracinho Cultural: agora é a vez das crianças aprenderem idiomas – e a cultura de alguns povos – com refugiados


Desde que foi lançado pela ONG Atados, em 2015, em parceria com  o Abraço Cultural – Curso de Idiomas com Refugiados – capacitou 50 professores, recebeu mais de 800 inscrições, reuniu 84 turmas e engajou 70 voluntários. Não é pouco.

Tudo começou em 2014, quando a turma da Atados (cujo slogan é “Juntando Gente Boa”) organizou, em São Paulo, uma iniciativa muito bacana: a 1ª. Copa do Mundo dos Refugiados. O país sempre recebeu bem quem precisou fugir de seu país e, naquele ano – de Copa do Mundo! -, a presença de estrangeiros foi ainda mais intensa pela cidade. Não só por causa da Copa do Mundo, mas porque inúmeras pessoas tiveram que deixar seu lugar de origem para salvar a própria pele e de sua família.

Foi ali, em meio a um clima delicioso de confraternização, que André Cervi e Daniel Morais Assunção, dois dos fundadores da Atados, vislumbraram a possibilidade de lançar uma ideia inédita e mais duradoura de integração para os imigrantes. E, assim, surgiu o Abraço Cultural, uma organização não governamental que promove a troca de experiências, a geração de renda e a valorização dos refugiados, quebrando preconceitos e barreiras culturais. Sim, porque o Abraço não oferece apenas o aprendizado de uma nova língua, mas também uma oportunidade incrível para se conhecer melhor a cultura de outro país por meio de culinária, dança, literatura, cinema, curiosidades, política e história.

A iniciativa oferece cursos de inglês, francês, espanhol e árabe – ensinados por professores vindos da Síria, do Congo, Cuba, Haiti, Nigéria, Benim e Costa do Marfim -, e já realizou festas, saraus, além de participar do Carnaval do ano passado com o bloco RefugiAmados.  Também realizou projetos em colégios, universidades, feiras multiculturais e empresas e expandiu o curso para o Rio de Janeiro. Este ano, chegará a Curitiba e Brasília e ainda atravessará o Atlântico, se instalando também em Paris.

Contei tudo isso pra chegar na notícia que quero dar aqui, hoje. Este mês, o Abraço Cultural lança mais uma novidade: o Abracinho Cultural, com cursos de idiomas para crianças de 8 a 12 anos. As aulas começam em março.

Além da convivência preciosa com os imigrantes, a metodologia extrapola o conceito de aula tradicional e foca no entendimento e na interpretação dos costumes e da cultura de cada povo, incentivando a definição de valores éticos e da cidadania.

Entre os materiais que dão suporte às aulas, estão um livro de língua, além de outros “em construção” à medida que as aulas avançam (como os livros dos números e do alfabeto e o caleidoscópio de cores, que podem ser completados pelos alunos). O desenvolvimento de projetos lúdicos e coletivos também faz parte do currículo.

Mais informações e inscrições no site do Abraço Cultural. A seguir, veja alguns flagrantes dos testes para definir a dinâmica dos cursos do Abracinho Cultural.

Fotos: Henrique Mariano/Divulgação

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta