A limpeza da sujeira e a sujeira da limpeza

a-limpeza-da-sujeira-e-a-sujeira-da-limpeza-800
Refletir sobre o que é sujo e o que é limpo requer disposição para o aprofundamento, pois não são questões que se responde de imediato. Nem são questões que têm resposta certa, dado que trata-se de percepções pessoais, mas fortemente influenciadas pela cultura em que o indivíduo está inserido.

Para nós, brasileiros, muito provavelmente devido à influência indígena, temos muitos hábitos de higiene, a limpeza do corpo e do ambiente são muito importantes para nós. Não é em toda parte do mundo que se toma banho todos os dias, e em algumas regiões do Brasil mais de uma vez por dia, que se escova os dentes, que se limpa com capricho a casa e os quintais.

Enquanto escrevemos sobre isso sentimos até um certo orgulho desse nosso jeito de ser. No entanto, o convite de hoje é para olharmos para “onde é que a gente perde a mão”, a partir de que ponto a gente repete um gesto de forma irrefletida e prejudicial ao desenvolvimento das crianças e à liberdade para explorar e conhecer o mundo. Quando é que o lado bom da higiene se torna nocivo/excessivo?

As crianças têm o direito de brincar e de se sujar, em todos os momentos do dia, todos os dias. Brincar livre na natureza já pressupõe que a criança vai voltar com a roupa marcada pelo contato com a terra, com a areia, com o barro, com a água, etc. Além da vantagem em si de gozar da liberdade, podemos listar outros benefícios desse contato, como o aumento da imunidade (pois a terra, o barro, a areia, a água, etc estão cheios de germes que estimulam a imunidade natural das crianças), estimulam a percepção sensorial e o próprio desenvolvimento do raciocínio.

Segundo a Dra. Angela Mattke, da Clínica Mayo (Mayo Clinic Children’s Center), sujar-se é bom para a saúde, pois além de ajudar a estruturar a imunidade em bebês e crianças, ajuda a prevenir alergias e a asma.

As crianças que aprendem com os adultos de que é errado sujar-se para brincar costumam apresentar rigidez no corpo, devido ao medo de contrariar o adulto, e também dificuldade para certos tipos de aprendizagem. Como irão descobrir o mundo se não podem experimentá-lo?

Há outras questões sobre esse tema. É senso comum que terra, folhas e flores caídas são sujeira, revelando um distanciamento radical dos processos vivos, em que a queda das folhas, sua decomposição e enriquecimento dos solos é absolutamente natural. Mesmo em áreas com chão de terra, em parques e jardins, as folhas caídas são muitas vezes varridas para causar a impressão de que é uma área cuidada, privando o solo de um enriquecimento natural. Por que será que se pensa assim?

Por outro lado, dentro das casas, a limpeza é feita por produtos altamente tóxicos, que causam alergias, são cancerígenos e podem provocar diversas outras enfermidades. São nocivos para crianças, plantas e animais de estimação. No entanto, ninguém questiona ou os considera sujos. Mesmo nas cidades grandes e poluídas, há indicadores de que a poluição dentro de casa é maior que fora dela! E a roupa é lavada com sabão em pó e amaciante, apesar de terem cheiro agradável, são também tóxicos para a pele e vias respiratórias. Então, como sairmos desse impasse?

Aqui seguem algumas dicas para começar e esperamos que você possa nos ajudar a aumentá-la:

. Deixe as crianças brincarem livres e se sujarem
Se você é mãe ou pai, e achar que dá muito trabalho lavar tanta roupa, pode combinar com a criança de usar a mesma roupa durante alguns dias para que ela possa se sentir livre. Se você é professor ou professora, e tem que explicar aos pais ou coordenadores, colecione argumentos a favor da liberdade e da saúde das crianças. Você pode começar com as nossas dicas e ir fazendo ela crescer.

. Procure não ficar avaliando se a criança está limpa ou suja
Comece a perceber a alegria que ela sente ao poder brincar livre com a natureza. Um banho no final do dia vai ser suficiente; ela não precisa ficar limpinha o dia todo.

. Observe o que você sente quando vê folhas e flores caídas ao pé das árvores das calçadas, praças, jardins e parques
Reflita se você gostaria que tudo fosse perfeitamente varrido. O que é lixo pra você? As folhas e flores entram na mesma categoria que embalagens pelo chão?

. Nem sempre é preciso lavar as mãos ‘sujas’ na natureza
Para comer, é bom lavar as mãos. Mas, em termos de contaminação, é mais importante lavar as mãos quando uma das crianças de um grupo está resfriada do que quando suas mãos estão só com terra ou areia. Pense nisso!

. Procure produtos de limpeza naturais ou fabricados com bases ecologicamente responsáveis
Existem diversas publicações sobre como fabricar produtos de limpeza em casa de forma segura e saudável. O livro Guia Ecológico Doméstico, de Maurício Waldman e Dan Schneider, publicado pela Editora Contexto, traz muitas receitas incríveis. Pra começar, evite qualquer produto que contenha cloro, que é o pior de todos os poluentes.

Foto: Renata Stort

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto “Ser Criança é Natural” para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Ana Carolina Thomé e Rita Mendonça

Ana Carolina é pedagoga, especialista em psicomotricidade e educação lúdica, e trabalha com primeira infância. Rita é bióloga e socióloga, ministra cursos, vivências e palestras para aproximar crianças e adultos da natureza. Quando se conheceram, em 2014, criaram o projeto "Ser Criança é Natural" para desenvolver atividades com o público. Neste blog, mostram como transformar a convivência com os pequenos em momentos inesquecíveis.

Deixe uma resposta