A importância da paixão para mudarmos as coisas que queremos


Eu já comentei aqui que, quem trabalha pelo planeta, seja como for, carece de empatia e amor – normalmente somos muito julgados. Se você está nesse bonde, sabe do que estou falando. Acontece que nossa alma teimosa, destemida e apaixonada sempre nos leva para onde temos que ir, em nome dessa missão linda que é cuidar da vida na Terra.

A gente só consegue passar a imagem e a energia de sacralidade de algo quando emanamos essa energia, quando sentimos que o que fazemos vale mesmo a pena, quando acordamos felizes de manhã para fazer acontecer uma atividade que pode impactar todo o universo – a teoria da complexidade mostra que é assim mesmo que acontece.

Quanto mais apaixonados somos pelo que fazemos, melhor. Aliás, esse trabalho de cuidar da Mãe Terra só pode mesmo ser feito com muita paixão. Do contrário, esquece. E, neste momento, de onde escrevo estas palavras, sou uma apaixonada entre apaixonados.

Escolhemos defender os corais da Amazônia

Estou trabalhando, à convite da Spectral Q e junto ao Greenpeace, para proteger os corais da Amazônia. Isso mesmo! São mais de 10 mil quilômetros de corais na região onde o rio Amazonas encontra o mar. Isso é uma raridade da natureza e que já está ameaçada por planos de exploração de petróleo por duas empresas estrangeiras: Total e BP (o Conexão Planeta já contou esta história e divulgou a petição)

Dá para saber de uma coisa dessas e fazer cara de paisagem? Até dá, mas quem sofre de paixonite aguda enxerga esse absurdo com lente de aumento. Por isso, hoje, 29/3, bem em frente ao posto 2, em Copacabana, no Rio de Janeiro, faremos uma intervenção artística na praia a partir de 8h, um desenho gigante criado pelo artista John Quigley e que será formado por pelo menos mil jovens cariocas. A imagem será fotografada do alto para, dali, ganhar o mundo. Vamos impactar pela arte e pela inspiração.

Queremos informar e, principalmente, sensibilizar as pessoas para a enorme importância de cuidarmos dos recifes de corais desta maravilhosa floresta. A Amazônia precisa, mais uma vez, de nosso apoio para que mais e mais pessoas compreendam sua importância e sacralidade.

Como tenho ralado junto com um time de apaixonados que tem trabalhado quase 24 horas por dia para fazer isso acontecer, aqui presto minha homenagem a eles:

Obrigada, Davison, por me inspirar com tanta disciplina e organização!
Ele comanda toda a logística da intervenção do Greenpeace; é pilhado e dedicado.

Melissa, sua força interior e sabedoria são inspiradoras!
Essa mulher vai lá e faz! Lida com situações que só almas fortes suportam – como passar dias na lama fétida onde antes havia o Rio Doce, em Mariana, Minas Gerais, por exemplo. Para poucos.

John (de camiseta escura na foto), você sempre traz para as pessoas que trabalham com você o verdadeiro espírito do banner humano, bem além de um monte de gente sentando na areia para ocupar o lugar que vai formar um desenho! “É um ritual. Uma mensagem que enviamos aos céus”.

Thais, sua meiguice comunica a alma do que faremos!

Jassy, meu braço direito, seu apoio é sempre feito com entrega, entusiasmo, dedicação!

Julia, sua irreverência anima todo mundo!

Obrigada a todos os artistas que têm aceitado meus convites de engajamento: Sergio Marone, Nanda Costa, Deo Garcez, Tiago e Diego Homci, Hugo Gross, Eriberto Leão, Fê Cortez. Valeu também a todos os voluntários do Greenpeace e ao time de mais de 100 pessoas que se juntará à nós na intervenção.

Obrigada a mim mesma também!  Aprendi a me agradecer. Valeu, Karina, por se colocar nessas missões que só me mostram o quanto as escolhas do meu coração acertam quando ele me diz: segue!

Amanhã, quem estiver na praia verá o resultado dessa paixão toda, que depois eu mostro aqui.

Que os corais da Amazônia sejam protegidos!
Que os corais da Amazônia sejam protegidos!
Que os corais da Amazônia sejam protegidos!

#DefendaOsCorais
E sigamos apaixonados!


Fotos: Divulgação Greenpeace

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Karina Miotto

Conectada com a força da floresta – guiada, protegida e inspirada por ela. Jornalista ambiental, educadora e fundadora do Reconexão Amazônia. Há mais de uma década tem se dedicado a proteger a Amazônia, onde morou por cinco anos. Mestre em Ciências Holísticas pela Schumacher College, Inglaterra, é formada em Educação para a Sustentabilidade pelo Gaia Education e Vivências com a Natureza pelo Instituto Romã.

Deixe uma resposta