Antártica sumiria se todo combustível fóssil da Terra fosse queimado

antartica-nasa-800x445

Todo o gelo da Antártica derreteria se queimássemos o petróleo e carvão ainda disponíveis no planeta e, consequentemente, o mar se elevaria 58 metros, inundando a costa de todos os continentes.

Esta é a conclusão do estudo desenvolvido por uma equipe internacional de cientistas – envolvendo o Carnegie Institution (EUA) e o Instituto Potsdam de Pesquisa em Impactos Climáticos, (Alemanha), entre outros -, publicado na semana passada pela revista Science Advances.

O artigo aponta que essa atividade – que emitiria cerca de 10 trilhões de toneladas de carbono – colocaria em risco de redução o Manto de Gelo da Antártica Oriental, que é a maior área na região. A elevação se daria lentamente – três metros por século, durante o primeiro milênio -, mas se configuraria em uma catástrofe sem precedentes na história da humanidade.

Segundo os pesquisadores, hoje, mais de um bilhão de pessoas vivem em regiões próximas ao litoral. Nesse cenário, as cidades do Rio de Janeiro, Tóquio, Nova York, Xangai e Calcutá, entre outras, poderiam ficar totalmente submersas com essa elevação.

De acordo com o estudo, o Manto de Gelo Ocidental já está em processo de perda irreversível, por conta da pressão humana e também de outros fatores.

No texto, a autora principal da pesquisa, Ricarda Winkelmann, do Instituto Postdam, salientou que “isso não aconteceria da noite para o dia, mas o problema é que nossas ações, hoje, estão transformando a Terra em algo bem diferente do que conhecíamos – e isso vai continuar nas próximas dezenas de milhares de anos. Se quisermos evitar uma Antártica sem gelo, precisamos deixar o carvão, o gás e o petróleo onde estão: nas profundezas da Terra”.

Tudo isso pode parecer distante demais para nos importarmos, mas pensar no que acontecerá à Terra – e a seus habitantes – nos próximos anos, mesmo que sejam milhares deles, faz parte da sustentabilidade que tanto almejamos, hoje.

Medidas de adaptação às alterações no nível do mar são possíveis, mas com certeza é melhor tentar evitar do que remediar. Por isso, é preciso conter o aumento da temperatura global em até 2ºC e é imprescindível que cheguemos a um acordo duro na próxima Conferência da ONU para as Mudanças Climáticas, a COP21, em Paris, em dezembro próximo.

Imagem: Nasa

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Um comentário em “Antártica sumiria se todo combustível fóssil da Terra fosse queimado

Deixe uma resposta