A água, a escola e o jovem cidadão

desenho infantil sobre campanha da água

Passo pela porta do banheiro uma, duas, três vezes. Não escuto o barulho da água. Meu filho de 8 anos devia estar tomando banho. Pergunto então:

“André, está no chuveiro?”
“Sim, mãe!” – ele responde.
“Ué, como não estou ouvindo o barulho da água? – questiono, desconfiada.
“Eu fecho a torneira para economizar água enquanto passo o sabonete, mãe”.

Toda vez que chove em São Paulo, cidade em que moramos, André também me pergunta se o nível do Sistema Cantareira (que abastece a capital e está atualmente no volume morto) estará subindo com a chuva. Apesar da crise hídrica que a região Sudeste enfrenta ter deixado as manchetes dos jornais, ele sabe que o problema ainda está muito longe de ser resolvido.

A preocupação e o comportamento de meu filho diante da água é certamente reflexo da atitude da nossa família dentro de casa (guardo a água do banho e rego as plantas com a que uso para lavar frutas e legumes). Também ajuda a minha profissão – jornalista que escreve sobre sustentabilidade. Mas ainda há outra responsável pela postura deste menino de 8 anos perante um dos recursos naturais mais preciosos do planeta: a escola.

O colégio onde meu filho estuda está engajado com os problemas sociais da cidade e comprometido a formar jovens cidadãos que também o sejam. No primeiro semestre deste ano, a coordenação do Pio XII decidiu criar – juntamente com os alunos – uma campanha pelo uso consciente da água. “Mais do que simplesmente apresentar uma campanha pronta e feita pela escola, a ideia era que ela fosse produzida pelos próprios estudantes, para que se sentissem parte dela e se apropriassem melhor de seus conceitos”,  diz Fátima Miranda, diretora-adjunta do Colégio Pio XII. “Dessa forma, eles respeitam e valorizam mais a iniciativa, bem como se sentem compelidos a ampliar o alcance dessas mensagens aos familiares e a toda a comunidade escolar”.

Os alunos do ensino médio participaram de um concurso para conceber o slogan e logotipo da iniciativa. Em uma eleição, eles mesmo votaram entre os candidatos. O slogan vencedor, das estudantes Isabella Araldo e Emília Mendes Arantes, foi “Água: Pense bem enquanto você ainda tem!”

cartaz da campanha pelo uso da água

O cartaz vencedor da campanha: criado pelos próprios alunos

Já as crianças do ensino infantil até o fundamental desenharam e escreveram mensagens que foram usadas em adesivos e coladas em todos os pontos de água da escola: torneiras, bebedouros e banheiros.

A ação está por todo lado e não passa despercebida. Há algumas semanas fui lavar minha mão e na pia da escola estava o simpático adesivo, com o desenho infantil e a frase “Inteligente é o modo consciente de usar a água”, criada por alguns alunos do 3º ano do ensino fundamental.

Além dos adesivos, frases como “Tenha um pingo de consciência” (8º ano), “Para não faltar, saiba usar” (7º ano) e “O consumo consciente pode salvar a gente” (também do 7º ano) foram estampadas em camisetas, utilizadas por professores e equipe docente em eventos da escola.

O colégio também investiu dinheiro em infraestrutura para colocar em prática o que prega aos alunos. O prédio principal ganhou telhado novo para ser possível captar água da chuva. Para que seja reutilizada, há uma caixa com capacidade para armazenamento de 40 mil litros.

A campanha da água permeará todo o ano letivo de 2015. Em outubro, a escola realizará um grande evento, chamado de “Sábado Cultural”, quando os mais de 1 mil estudantes apresentarão trabalhos que terão como tema “Água”. “Precisamos lembrar que as discussões sobre as secas diminuíram, mas com a chegada do inverno, sua importância se intensifica ainda mais”, afirma Fátima Miranda.

Os grandes e os pequenos, como meu filho André, ficam extremamente orgulhosos de ver seus trabalhos expostos no ambiente escolar. Já a conscientização sobre o uso correto da água se torna parte da formação deles como alunos e pessoas.

São iniciativas educacionais como estas, que muitas vezes parecem simples, que constroem o caráter e as atitudes de nossos futuros cidadãos. Eles saberão, certamente, que a água não é um recurso natural infinito porque além de vivenciarem esta realidade na prática, aprenderam na sala de aula este valioso aprendizado.

Veja abaixo outras mensagens criadas pelos alunos do PioXII para a campanha da água:

desenho infantil da campanha pelo uso consciente da água

desenho infantil campanha de água

 

 

desenho infantil da campanha pelo uso consciente da água

 

desenho infantil da campanha pelo uso consciente da água

Imagens: divulgação Colégio Franciscano Pio XII

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou em Zurique, na Suíça, de onde colaborou para diversas publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Info, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Atualmente vive em Londres.

Um comentário em “A água, a escola e o jovem cidadão

Deixe uma resposta