2015 ainda pode ser o ano mais quente da história

2015-ano-mais-quente-800x445
Que 2014, que nada! A agência norte-americana de oceanos e atmosfera (NOAA) anunciou que este ano ainda pode desbancar o ano passado no quesito ‘mais quente da história da humanidade’.

Segundo a instituição, a temperatura média global no mês de setembro foi 0,9°C, ou seja, mais alta que a média no século XX. Para se entender a dimensão dessa notícia – que não é de hoje, mas do dia 26/10, segunda-feira – no dia 11 deste mês, o gelo do Ártico registrou sua quarta menor extensão desde 1979, registrando 2,73 milhões de km2 (mais ou menos 1,19 milhão de km2 abaixo da média entre 1981 e 2010).

Em 2015, estão os dez meses mais quentes, até agora: março, maio, junho, julho, agosto e setembro. Além disso, várias foram as cidades que aqueceram acima da média no Brasil. Entre elas estão Belo Horizonte, Manaus e Brasília, que já haviam registrado recordes históricos de calor.

Vai ferver!

Há cerca de dois meses, o próximo verão foi anunciado como o mais quente por conta do fenômeno El Niño que se somará ao aquecimento global causado por emissões de gases de efeito estufa cada vez mais intensas.

A foto de Paris num fim de tarde calorento (no início deste post) está aqui só pra lembrar que, no final de novembro e começo de dezembro, chefes de estado e delegações dos países da ONU se reunirão em Paris, na 21ª. Conferência de Mudanças Climáticas, para expor suas contribuições para a redução dos gases de efeito estufa em seus países e decidir o futuro da humanidade. Lembrando que, se todas as emissões fossem zeradas agora, levaria muito tempo para que pudéssemos recuperar o planeta.

Este ano, a Nasa divulgou animação para mostrar a evolução do aquecimento global em 30 segundos: de 1880 até 2014.  Veja abaixo. Quando 2015 for incluído em um novo vídeo, o final certamente ficará bem mais vermelho.

Leia também:
Aquecimento pode ser limitado a 2°C se EUA e UE assumirem a lidaerança
Primavera pode chegar mais cedo um mês devido ao aquecimento global
Sucesso de novo acordo climático dependerá de governança
Julho de 2015 é o mais quente da história

Foto: Unsplash/Pixabay

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na Claudia e Boa Forma, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, considerado o maior portal no tema pela UNF. Integra a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade.

3 comentários em “2015 ainda pode ser o ano mais quente da história

Deixe uma resposta